“Foi uma tragédia anunciada”, declara deputado Wellington durante vistoria na UEB Jackson Lago e reunião com pais e professores..

0

O deputado estadual Wellington do Curso (PP) se reuniu, pela terceira vez, com pais e professores da UEB Jackson Lago, na Cidade Operária e cobrou ações de urgência na escola por parte da Prefeitura de São Luís. O que motivou mais uma reunião foi o descaso com a escola por parte da Prefeitura. Ontem, parte do teto da escola desabou, durante chuva que caiu na capital maranhense.

O parlamentar convidou para a reunião a professora Elizabeth Castelo Branco, presidente do Sindicato Municipal dos Professores de São Luís; Adelmano Benigno, presidente da Comissão de Educação da OAB-MA, professores e pais de alunos. A presidente do Sindicato, Elizabeht, solicitou aos professores e a direção da escola que comuniquem a Secretaria Municipal de Educação sobre o ocorrido e suspendam as aulas enquanto o problema não for solucionado.

“Não podemos permitir que alguns professores deem aula, e não se solidarizem com os demais que tiveram suas salas com o teto desabado. Pedimos que os pais compreendam, os demais professores se solidarizem e a direção suspenda as aulas até que a Prefeitura de São Luís resolva os problemas da escola”, disse Elizabeht Castelo Branco. Na oportunidade, o deputado Wellington destacou que, já fez três reuniões na escola e agora cobra ações de urgência da Prefeitura de São Luís na UEB Jackson Lago.

“O desabamento do teto da escola foi uma tragédia anunciada. Semana passada viemos à escola por meio do programa “De Olho Nas Escolas”, após denuncias de pais de alunos, e foi comprovado que a UEB não tem condições de abrigar os alunos. São salas escuras, sem ventilação e sujas. A diretora tem ouvido todas as demandas dos pais de alunos e professores e esclareceu que tem enviado ofícios a Secretaria de Educacao do Município e não obteve respostas. Na semana passada, fizemos uma audiência pública, na biblioteca da escola, para ouvirmos as propostas da prefeitura e se quer, um representante compareceu. Participaram da audiência representantes da OAB, sindicato dos professores, conselheiros tutelares, pais alunos e professores. Passou-se uma semana e nada foi feito por parte da prefeitura. Na tarde de ontem, teve uma chuva rápida, e o teto da escola desabou, e não foi só de uma parte da escola, foram de várias salas, da entrada da escola e do refeitório. Todas as salas foram inundadas. Ou seja, a prefeitura de São Luís não está dando a mínima importância para a escola, para a educação dessas crianças e valorização dos professores. E agora, o que fazer? As crianças irão ficar sem aula? Até quando? Ninguém mais sabe a quem recorrer, enquanto isso, o descaso continuará? Por isso, denunciamos ao Ministério Publico e solicitamos ações de URGÊNCIA por parte da Prefeitura para que as crianças não fiquem sem estudar, não percam o ano letivo”, disse Wellington.

Os comentários estão desativados.