Monthly Archives: abril, 2017

S√≠ndrome de patinho feio: Fl√°vio Dino foi o √ļnico governador que esteve ausente em reuni√£o com o presidente Temer:

O Jornal Pequeno trouxe uma interessante reportagem hoje, sobre um almoço oferecido pelo presidente do Brasil aos governadores. O local respirava sobre os importantes  temas de projetos para os estados e municípios.

O foco foi para ouvir sugest√Ķes sobre o tema, na tentativa de incluir mudan√ßas propostas pela Uni√£o, mas Dino, que criou uma situa√ß√£o t√£o dif√≠cil defendendo Lula e Dilma, que acabou deixando o Maranh√£o em desvantagens aos outros estados.

Sobrou para o vice, sem muita interação, ou moral, ter que dar as caras na tentativa de representar o governo comunista do Maranhão. Que vergonha!

Para n√£o ficar pior, Dino enviou seu vice…

√Č para isso que serve um senador: para ter um nome limpo!

Roberto Rocha, al√©m de ter nome limpo, √© bem relacionado, n√£o vive fazendo inimizades pol√≠ticas…

Diferente de Flávio Dino, o senador Roberto Rocha, que não está envolvido em esquemas de propinas da Odebrecht na Lava Jato, goza de bom entrosamento nas esferas do poder em Brasilia, ajudando a alavancar recursos para tocar projetos nos municípios.

O retrocesso de Astro de Ogum…

Ogum Sob a lideran√ßa de Dino: retrocessos…

¬†Duas tacadas: acabaram com o Uber e, de quebra, enterraram um processo desde o no ano de 2014, sobre um forte esquema de agiotagem envolvendo o Bradesco e a C√Ęmara Municipal de S√£o Lu√≠s, que ficou conhecido como ‚Äúo Caso Bradesco‚ÄĚ.

C√Ęmara, atrav√©s de Astro, vetou o Uber:

O presidente da C√Ęmara Municipal de S√£o Lu√≠s, vereador Astro de Ogum (PR), assinou a promulga√ß√£o da Lei de n¬ļ 119/2015, de autoria da vereadora Luciana Mendes, que pro√≠be o uso do aplicativo Uber em S√£o Lu√≠s.

Astro, assim como toda a C√Ęmara de Vereadores de S√£o Lu√≠s, decidiram que o melhor para a capital do Maranh√£o, diferente das demais capitais do Brasil seria o tradicional t√°xi.

Bem feito para quem votou nos pol√≠ticos da ‚Äúmudan√ßa‚ÄĚ encabe√ßada por Fl√°vio Dino, Edivaldo Holanda, Astro de Ogum…

Inscri√ß√Ķes abertas para a segunda edi√ß√£o do semin√°rio Revitaliza√ß√£o dos Rios Maranhenses e Suas Nascentes. O evento vai acontecer no audit√≥rio da Faculdade de Educa√ß√£o S√£o Francisco- FAESF, em Pedreiras.

Ser√° realizado no dia 26 de maio, no munic√≠pio de Pedreiras (MA), a segunda edi√ß√£o do semin√°rio ‚ÄúRevitaliza√ß√£o dos Rios Maranhenses e Suas Nascentes‚ÄĚ. O evento vai acontecer no audit√≥rio da Faculdade de Educa√ß√£o S√£o Francisco- FAESF, das oito ao meio dia, e reunir√° legisladores; representantes dos setores p√ļblico e privado; entidades ambientais, estudantes e outros.

Realizado pelo Instituto Cidade Solidária e senador Roberto Rocha (PSB), com co- realização do Movimento Ensinando e Aprendendo (MEA), o seminário pretende refletir e traçar estratégias para revitalizar todos os rios maranhenses, com foco nas bacias do Rios Itapecuru, Parnaíba e Mearim.

A primeira edi√ß√£o do semin√°rio ocorreu no m√™s de mar√ßo, no audit√≥rio da Fiema, em S√£o Lu√≠s, e reuniu cerca de 800 pessoas entre pol√≠ticos, empres√°rios, gestores, ambientalistas, estudantes, entidades, √≥rg√£os p√ļblicos e privados, dentre outros profissionais de diversas √°reas, que por meio de palestras e mesas redondas, apresentaram projetos sobre meio ambiente e discutiram a√ß√Ķes de responsabilidade socioambiental.

Em Pedreiras, a cerim√īnia de abertura ter√° a presen√ßa do senador Roberto Rocha e de outras lideran√ßas pol√≠ticas do estado.

Na oportunidade, a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do S√£o Francisco e do Parna√≠ba (CODEVASF), vai explicar o seu planejamento para a Bacia Hidrogr√°fica do Mearim. Haver√° ainda a palestra com o professor Ant√īnio Lopes do Bomfim Neto, chefe do departamento de ci√™ncias Agr√°rias da UEMA ‚Äď Campus Bacabal.

As inscri√ß√Ķes j√° est√£o abertas e podem ser feitas pelo e-mail [email protected],¬†ou pelo telefone (98) 9-9221-1261. A entrada ser√° mediante 01 quilo de alimento n√£o perec√≠vel, que ser√° doado para institui√ß√Ķes de caridade da regi√£o do M√©dio Mearim.

A igreja do Brasil precisa se posicionar sobre as mortes de crist√£os na Coreia do Norte:

Perseguição e morte de cristãos na Coreia, vários políticos do Brasil já teriam declinado do apoio, apenas o partido de Flávio Dino continua apoiando ditador.

Os comunistas brasileiros, ao que parece, ¬†ignoram as persegui√ß√Ķes praticadas pelo Partido Comunista aos crist√£os da Coreia do Norte. No ano de 2013, o PCdoB, mesmo sabendo das atrocidades praticadas pelos comunistas coreanos, resolveu, atrav√©s de carta, declarar total apoio ao regime ditatorial. Sobre o apoio do partido do governador Fl√°vio Dino, o PCdoB, ao regime do ditador coreano Kim Jong-un, alguns partidos que teriam assinado a carta (PT e PSB) teriam declinado do apoio. Entenda aqui:

De l√° para c√°, as graves den√ļncias de persegui√ß√Ķes, mortes e atrocidades, s√≥ aumentaram. Mesmo assim, o PCdoB continua apoiando o regime ditatorial.

Abaixo, o relato de uma vítima dos comunistas:

Durante d√©cadas o grupo Sarney usou o governo para fazer politica, pressionar prefeitos para as elei√ß√Ķes. Mas nada mudou, o mesmo ainda acontece hoje:

Mudança pra pior: descaradamente fazendo campanha para sua reeleição. São os próprios aliados do comunista Flávio Dino que confirmam aparelhamento político do governo. Abaixo, fiquem com a análise feita pelo jornalista Abimael Costa:

No detalhe da foto (seta) um prefeito de um grupo pol√≠tico contr√°rio ao comunismo que estaria sendo pressionado. Tudo como dantes…

Os 100 (sem) dias de Edivaldo: 

Al√ī, MP, PF, TRE, ser√° que tem algu√©m acordado? Abaixo, fiquem com as lament√°veis imagens das obras feitas com recursos publicos, mas que est√£o abandonadas.

Depois de passar 4 anos “enxugando” a m√°quina da Prefeitura de S√£o Lu√≠s, o prefeito Edivaldo Holanda J√ļnior (PDT) ¬†foi eleito para mais 4, sendo que, diferente dos primeiros anos sem fazer o necess√°rio, o minimo ou o √≥bvio, o prefeito n√£o vai ter mais um culpado para alegar que recebeu uma “heran√ßa maldita”, “cidade detonada”, “com rombo milion√°rio”, “no vermelho”.

Durante as elei√ß√Ķes municipais, obras importantes como uma maternidade, um hospital da crian√ßa e v√°rias creches (que est√£o sendo constru√≠das h√° 5 anos e nunca ficam prontas) foram mostradas como na propaganda eleitoral com total urg√™ncia, ¬†mas passadas as elei√ß√Ķes, reeleito para mais quatro anos est√° tudo parado.

 

Lava Jato: uma lembrança desagradável

Durante uma transmiss√£o ao vivo pelas redes s√≥cias (Instagram) o deputado federal Weverton Rocha (PDT), novamente foi enquadrado enquanto discursava ao vivo durante uma sess√£o na C√Ęmara dos Deputados em Bras√≠lia, no final desta tarde. Midi√°tico, Weverto Rocha discursa como defensor do petismo e comunismo, que na verdade s√£o os grandes culpados pelo Brasil est√° na sua pior fase, devido a corrup√ß√£o que se instalou nos √ļltimos anos.

Só lembrando que o deputado é hoje um dos principais culpados pela reeleição do prefeito Edivaldo Holanda Junior, que nada faz pela cidade de São Luís, capital do Maranhão, a não ser politicagens.

O grupo de Weverton Rocha enfrenta duras acusa√ß√Ķes na Lava Jato.

PCdoB, PT e PDT –
grupo de Weverto Rocha envolvido nos esquemas da Odebrecht…

 

Roberto Rocha defende-se no facebook!!!

Senador usa facebook para lamentar ataques à sua família! Desta vez, Rocha citou Padre Vieira, sobre os efeitos do sal contra a corrupção. Roberto Rocha, como bom pai e filho, nunca se referiu aos familiares, ou mesmo ao pai do governador comunista. Bem resolvido e equilibrado, seus comentários são diretos e sem baixarias.

Mas, lamentavelmente, sem o menor pudor, um blogueiro conhecido no crime como um defensor canino do governador Fl√°vio Dino, novamente atacou a moral do senador Roberto Rocha, xingando-o, inclusive, atacando seu falecido pai, que foi governador do Maranh√£o. Tudo indica que o Pal√°cio dos Le√Ķes, ¬†atrav√©s de um blogueiro de aluguel, comanda baixarias¬†para atacar fam√≠lia do senador Roberto Rocha, ¬†que tem respondido sem agress√£o ao governador comunista.

Abaixo, trecho do facebook do senador Roberto Rocha, ¬†que bateu recordes de coment√°rios contra a atitude baixa dos aliados do Pal√°cio dos Le√Ķes:

Soube agora que o governador Flávio Dino mandou soltar um ou dois de seus pistoleiros dos teclados, também chamados de blogueiros, para atacar meu saudoso Pai, com o objetivo de me arrastar para o esgoto da Lava Jato onde ele está atolado até o pescoço.

Meu Pai não está mais aqui para se defender, como, graças à Deus, está o Pai do governador Flávio Dino, que eu jamais agredirei, muito menos através de terceiros desqualificados.

Por isso, aqui vai minha resposta, já que não sou covarde para dizer o que quero através de fantoches de aluguel.

Meu Pai foi candidato ao governo do estado do Maranhão no início da década de 80, portanto muito distante dos dias e das leis atuais.

Naquela época ninguém era acusado do que Flávio Dino está sendo acusado hoje.

Segundo seu pr√≥prio irm√£o, o Procurador da Rep√ļblica Nicolau Dino, que se declara completamente diferente dele, caixa dois atualmente √© crime de corrup√ß√£o.

Portanto, cabe a Flávio Dino provar que não é mais um desses corruptos que o Brasil descobre pelo esgotos da Lava Jato.

Padre Vieira, em S√£o Lu√≠s do Maranh√£o, no serm√£o em homenagem √† festa de Santo Ant√īnio, em 1654, indagava: “O efeito do sal √© impedir a corrup√ß√£o, mas quando a terra se v√™ t√£o corrupta como est√° a nossa, havendo tantos nela que t√™m of√≠cio de sal, qual ser√°, ou qual pode ser a causa desta corrup√ß√£o?”

Segundo Frei Beto, havia duas causas principais: a contradição de quem deveria salgar e a incredulidade do povo diante de tantos atos que não correspondiam às palavras.

O corrupto caracteriza-se por não se admitir como tal. Esperto, age movido pela ambição de dinheiro. Não é propriamente um ladrão. Antes, trata-se de um requintado chantagista, desses de conversa frouxa, sorriso amável, salamaleques gentis.

O corrupto n√£o se exp√Ķe; extorque. Considera a comiss√£o um direito; a porcentagem, pagamento por seus servi√ßos; o desvio, forma de apropriar-se do que lhe pertence. Bobos s√£o aqueles que fazem tr√°fico de influ√™ncia sem tirar proveito.

H√° muitos tipos de corruptos.

O corrupto oficial √© aquele que se vale de uma fun√ß√£o p√ļblica, como deputado federal por exemplo, para tirar proveitos a si, √† fam√≠lia e aos amigos. Troca a placa do carro, embarca a mulher com passagem cuesteada pelo er√°rio, faz gastos e obriga o contribuinte a pagar. Considera natural o superfaturamento, a aus√™ncia de licita√ß√£o, a concorr√™ncia com cartas marcadas.

A l√≥gica do corrupto √© corrupta: “Se n√£o fa√ßo, outro leva vantagem em meu lugar”. Seu √ļnico temor √© ser apanhado em flagrante delito. N√£o se envergonha de se olhar no espelho, apenas teme ver seu nome estampado nos jornais. Confiante, jamais imagina o filho a indagar-lhe: “Papai, √© verdade que voc√™ √© corrupto?”

O corrupto n√£o sente nenhum escr√ļpulo em receber caixas de u√≠sque no Natal, caixas de cervejas Heineken, presentes caros de fornecedores ou andar de carona em jatinhos de empreiteiras, como a Odebrecht. Afrouxam-lhe com agrados e, assim, ele afrouxa a burocracia que ret√©m as verbas p√ļblicas.

Há o corrupto privado. Nunca menciona quantias, tão somente insinua, cauteloso, como se convencido de que cada uma de suas palavras estão sendo registradas por um gravador. Assim, ele se torna o rei da metáfora, da retórica, do gogó. Nunca é direto. Fala em circunlóquios, seguro de que o interlocutor saberá ler nas entrelinhas. Parece um professor!

O corrupto franciscano pratica o toma l√°, d√° c√°. Seu lema √© “quem n√£o chora, n√£o mama”. N√£o ostenta riquezas, n√£o viaja ao exterior, faz-se de pobret√£o para melhor encobrir a maracutaia. √Č o primeiro a indignar-se quando o assunto √© a corrup√ß√£o que grassa pelo pa√≠s. √Č um fingido, dissimulado.

O corrupto nost√°lgico orgulha-se do pai escritor, da m√£e funcion√°ria p√ļblica, de sua origem humilde como professor, mas est√° intimamente convencido de que, tivesse antes a oportunidade de meter a m√£o na cumbuca, j√° teria dito: “manda quem pode, ‘odebrecht quem tem ju√≠zo”.

O corrupto não sorri, agrada; não cumprimenta, estende a mão; não elogia, incensa; não possui valores, apenas saldo bancário. De tal modo se corrompe que nem mais percebe que é um corrupto. Julga-se um negocista bem sucedido.

Melífluo, o corrupto é cheio de dedos, encosta-se nos honestos para se lhe aproveitar a sombra, trata os subalternos com uma dureza que o faz parecer o mais íntegro dos seres humanos. Aliás, o corrupto acredita piamente que todos o consideram de uma lisura capaz de causar inveja em madre Teresa de Calcutá.

Por fim, tem o corrupto moderno, digital, esquerdista caviar, que re√ļne todas as caracter√≠sticas anteriores. Julga-se dotado de uma intelig√™ncia que o livra do mundo dos ing√™nuos e o torna mais arguto, gatuno e esperto do que o comum dos mortais.

Assim ficou entendido, ap√≥s o deputado Sousa Neto (PROS) cobrar, da tribuna da Assembleia Legislativa, ontem (24), que o governador Fl√°vio Dino e do prefeito Dutra ‚Äúfuti‚ÄĚ entregassem os t√≠tulos de posse de terra as mais de 300 fam√≠lias do Residencial Nova Esperan√ßa, pois prometeram na campanha eleitoral esses t√≠tulos, mas que agora o ‚Äúfuti‚ÄĚ quer tomar as moradias‚Ķ √äpa!!! Isso √© imoral e anti√©tico, haja vista que prometera a terra, isso em detrimento dos votos dessas pessoas, que cumpriram!!!

Os moradores com toda raz√£o se dizem ludibriados pela promessas de campanha feita pelo prefeito Domingos Dutra (PCdoB).

Num discurso contundente, o deputado Sousa Neto (PROS), acompanhado pelos moradores do Nova Esperança, que estavam na galeria, retratou todo o episódio desde as promessas de campanha.

N√£o demorou nada para que o ‚Äúfuti‚ÄĚ mostrasse a que veio!!! (Caio Host√≠lio)

Em vídeo, senador Roberto Rocha diz ao comunista Flávio Dino que prove sua inocência na Lava Jato!!!

Num trecho de uma entrevista, o senador Roberto Rocha (PSB) diz que apoia a Operação Lava Jato, desejando que o governador Flávio Dino consiga provar sua inocência no processo.

Outro recado ao comunista:¬†em v√≠deo, Roberto Rocha, que foi eleito senador na mesma chapa em que Fl√°vio Dino foi eleito governador do Maranh√£o, questiona porque seu nome n√£o est√° inclu√≠do na lista da Odebrecht, enquanto o nome de Fl√°vio Dino foi delatado nas investiga√ß√Ķes.

Ser√° que Fl√°vio Dino, defensor do PT pode responder ao questionamento?

Mais abaixo, Rocha alfineta a postura equivocada do ex-juiz, que age de forma descontrolada quando alguém aponta o dedo em sua direção.

Confira abaixo:

1 2 3 4 13