A carapuça vermelha da CUT serviu: em artigo, Flávio Dino desculpa-se sobre a paralisação forçada desta sexta-feira…

0
  • Imaginem Flávio Dino acusando golpes?

Dava para perceber que aqueles poucos baderneiros que fecharam as ruas com pneus incendiados cumpriam uma agenda política, lógico, que gritariam “fora Temer”, que depois dessa patomima apareceria o Lula discursando como um eterno redentor  do Brasil, como se ele, apenas por seus métodos soubesse tirar o país dessa imensa crise, que não existia antes do PT.

Pior que tudo isso foi ver nos vídeos enviados pelo whastsapp sindicalistas gritando na Rua Grande para fecharem lojas, sem o menor sinal da POLÍCIA, que aqui no Maranhão parecia estar de greve, deixando baderneiros agindo como se fossem os donos da situação.

Parecia até que obedeciam ordens superiores. Escrevi sobre isso, reveja:

Atirando pedra e escondendo as mãos…

Flávio Dino repete Sarney quando tenta afastar dele o ônus da culpa. É verdade, comunista amanheceu o domingo, último dia do mês de abril de 2017, desculpando-se pela paralisação que seus amigos da CUT causaram à nação, em especial nas principais vias do Maranhão. Flávio Dino escreve chamando de “greve geral” ou “uma das principais mobilizações políticas de nosso país…” Para finalizar a patomima, o comunista diz que “apenas ditaduras impõe suas vontades”.  Interna! É muita falácia.

Traição:

Mentir e trair é uma constante para quem não tem compromisso com o cargo que ocupa, vimos isso por quase 40 anos, mas, Flávio Dino, pior que Sarney, um ditador, diz que quer dialogar.

Sempre com uma desculpa, comunista de “gogó” como ficou conhecido após trair aliados da campanha de 2014, e se juntar ao PT que apoiava irrestritamente Roseana Sarney e seu candidato nas eleições de 2014. Ora, Edinho Lobão do PMDB, repetia a chapa nacional: Dilma (PT) e Michel Temer (PMDB). Mas, depois da vitória, o comunista traiu todos e tenta, até hoje, investir na legenda lulista, aqui no Maranhão (Sarno-petista). Já começo a embrulhar o estomago, mas deixarei abaixo um pequeno trecho do comunista:

 

Os comentários estão desativados.