Monthly Archives: abril, 2017

  • Imaginem Fl√°vio Dino acusando golpes?

Dava para perceber que aqueles poucos baderneiros que fecharam as ruas com pneus incendiados cumpriam uma agenda pol√≠tica, l√≥gico, que gritariam “fora Temer”, que depois dessa patomima apareceria o Lula discursando como um eterno redentor ¬†do Brasil, como se ele, apenas por seus m√©todos soubesse tirar o pa√≠s dessa imensa crise, que n√£o existia antes do PT.

Pior que tudo isso foi ver nos v√≠deos enviados pelo whastsapp sindicalistas gritando na Rua Grande para fecharem lojas, sem o menor sinal da POL√ćCIA, que aqui no Maranh√£o parecia estar de greve, deixando baderneiros agindo como se fossem os donos da situa√ß√£o.

Parecia até que obedeciam ordens superiores. Escrevi sobre isso, reveja:

Atirando pedra e escondendo as m√£os…

Fl√°vio Dino repete Sarney quando tenta afastar dele o √īnus da culpa.¬†√Č verdade, comunista amanheceu o domingo, √ļltimo dia do m√™s de abril de 2017, desculpando-se pela paralisa√ß√£o que seus amigos da CUT causaram √† na√ß√£o, em especial nas principais vias do Maranh√£o. Fl√°vio Dino escreve chamando de “greve geral” ou “uma das principais mobiliza√ß√Ķes pol√≠ticas de nosso pa√≠s…” Para finalizar a patomima, o comunista diz que “apenas ditaduras imp√Ķe suas vontades”. ¬†Interna! √Č muita fal√°cia.

Traição:

Mentir e trair é uma constante para quem não tem compromisso com o cargo que ocupa, vimos isso por quase 40 anos, mas, Flávio Dino, pior que Sarney, um ditador, diz que quer dialogar.

Sempre com uma desculpa, comunista de “gog√≥” como ficou conhecido ap√≥s trair aliados da campanha de 2014, e se juntar ao PT que apoiava irrestritamente Roseana Sarney e seu candidato nas elei√ß√Ķes de 2014. Ora, Edinho Lob√£o do PMDB, repetia a chapa nacional: Dilma (PT) e Michel Temer (PMDB). Mas, depois da vit√≥ria, o comunista traiu todos e tenta, at√© hoje, investir na legenda lulista, aqui no Maranh√£o (Sarno-petista). J√° come√ßo a embrulhar o estomago, mas deixarei abaixo um pequeno trecho do comunista:

 

Ap√≥s fiasco da “greve” Pal√°cio dos Le√Ķes encomenda outra pesquisa…¬†

Não há como negar a constante desaprovação popular do governador Flávio Dino, depois que assumiu de vez seu outro lado.

Essa greve for√ßada pela CUT/PT foi t√£o nociva ao estado, que o Pal√°cio dos Le√Ķes j√° teria encomendado uma nova pequisa¬†de popularidade do governador Fl√°vio Dino, que na cota de M√°rcio Jerry, o primeiro ministro do comunismo do Maranh√£o, sempre oscila entre 65 a 71,71,71%.

Comunistas ladeira abaixo:

Com sua imagem colada a de um eterno estudante secundarista e aos movimentos esquerdistas, defensor irrestrito de Lula, Dilma, e outros corruptos envolvidos na Lava Jato, Fl√°vio Dino prefere enganar-se pensando que est√° engando a popula√ß√£o com n√ļmeros fantasiosos de institutos de pesquisas, que pagos com dinheiro p√ļblico, como fazia Roseana Sarney at√© pouco tempo, mas nada comprovam, a n√£o ser seu desespero face √†s constantes quedas e oscila√ß√Ķes de popularidade.

Outro lado ditador falou mais alto que as palavras:

Em entrevista ao site dos comunistas, do qual seu primeiro ministro é o principal articulista, Flávio Dino falou o de sempre, agindo como se fosse um grande defensor da democracia, mas, na prática, preferiu contribuir com a greve, que serviu apenas para impedir a vida dos trabalhadores de exercerem seus direitos (ir e vir), de cumprir seus deveres (trabalhar).

O outro lado ditador: comunista fala como defensor da democracia, mas continua agindo diferente do que fala…

 

 

O fiasco da greve geral de ontem ‚Äď convocada sem que nenhuma assembleia sindical tenha se manifestado ‚Äď mostra que essas entidades, desviando-se de suas finalidades estatut√°rias, disputam hoje com os partidos pol√≠ticos o trof√©u de desgaste popular.

Como os partidos pol√≠ticos, s√≥ que numa escala bem maior, pulverizaram-se e passaram a servir-se do p√ļblico para atender interesses privados. Criam-se sindicatos, assim como partidos, para se ter acesso ao dinheiro p√ļblico que os sustenta.

Os partidos recebem as verbas do fundo partid√°rio; os sindicatos, do imposto sindical ‚Äď um dia de trabalho por ano de cada trabalhador, sindicalizado ou n√£o. H√° hoje, em decorr√™ncia, uma elite sindical milion√°ria que se consolidou ao longo da Era PT.

O pretexto para a greve geral ‚Äď as reformas trabalhista e previdenci√°ria ‚Äď n√£o gerou a mesma rea√ß√£o quando o patroc√≠nio era dos governos Lula e Dilma. As propostas eram equivalentes, mas n√£o embutiam um detalhe: o fim do imposto sindical. E √© ele que est√° na raiz da greve frustrada de ontem, n√£o as reformas em nome das quais foi convocada. A Rep√ļblica Sindical √© cara, ineficaz e bizarra.

A prop√≥sito, algu√©m j√° ouviu falar de um certo Sindicato das Ind√ļstrias de Camisas para Homens e Roupas Brancas de Confec√ß√£o e Chap√©us de Senhoras? Pois √©. Funciona (?) no Rio de Janeiro.

H√° outros, assemelhados, como o Sindicato da Ind√ļstria de Guarda Chuvas e Bengalas de S√£o Paulo. Ou ainda o Sindicato dos Empregados em Entidades Sindicais, isto √©, um sindicato de funcion√°rios de sindicatos. Seria at√© engra√ßado se por tr√°s n√£o houvesse alguns bilh√Ķes do contribuinte.

H√° no Brasil, segundo o Minist√©rio do Trabalho, nada menos que 11 mil e 257 sindicatos de trabalhadores, sem contar federa√ß√Ķes, confedera√ß√Ķes e centrais. E n√£o √© s√≥: n√£o cessam os pedidos para a cria√ß√£o de novos, que j√° n√£o se classificam apenas por categoria, subdividindo-se, em alguns casos, at√© por local de trabalho.

Por exemplo: n√£o basta um sindicato para os comerci√°rios. H√° um de comerci√°rios que trabalham em shoppings, que teriam natureza diferenciada da dos comerci√°rios que trabalham em estabelecimentos sediados nas ruas e avenidas. Quest√£o de CEP.

A criatividade, em busca de fatias do imposto sindical, não tem limites. Cria-se numa ponta uma entidade patronal, o Sindicato de Empresas de Desmanche de Veículos (Sindidesmanche), e na outra uma entidade de trabalhadores do mesmo ramo, o Sindicato dos Inspetores Técnicos em Segurança Veicular (Sintseve).

À frente de ambas, os mesmos dirigentes: Mario Antonio Rolim, Ronaldo Torres, Antonio Fogaça e Vitorio Benvenuti, todos ligados à mesma Central, a Força Sindical, do deputado Paulo Pereira, do PDT, que, aliado de Lula e Dilma, não hesitou em aderir a Temer.

O imposto sindical foi criado por Get√ļlio Vargas, nos anos 40, mas, gra√ßas √† Lei 11.648, de 2008, se estendeu √†s centrais sindicais. E gra√ßas a um veto de Lula ao artigo que submetia esse repasse √† fiscaliza√ß√£o do TCU, n√£o √© necess√°rio que as centrais prestem conta do que √© feito com essa bolada ‚Äď que n√£o √© desprez√≠vel.

Em 2016, os sindicatos receberam R$ 3,6 bilh√Ķes; s√≥ as centrais sindicais, de 2008 a 2015, R$ 1 bilh√£o, sem precisar explicar o que dele fizeram. Esse dinheiro chega aos cofres do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) e √© depois repassado pela Caixa Econ√īmica Federal. Uma festa.

Em tal ambiente, não é difícil entender a proliferação de sindicatos, que crescem na razão inversa à qualidade do atendimento ao usuário. Mas compreende-se: não se expandiram com essa finalidade, mas para servir a um projeto de poder, graças ao qual consegue tumultuar a vida do país, falando em nome de quem não representa, mantendo-o no atraso em que ajudou a colocá-lo.

A prefeitura de São José de Ribamar por meio da Secretaria de Assistência Social, Trabalho e Renda, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, SENAI, assinou nesta sexta-feira (28), convênio para a oferta de cursos profissionalizantes que beneficie a população ribamarense.

O convênio prevê inicialmente a oferta de treinamentos de iniciação profissional, aperfeiçoamento e qualificação, voltados há cinco áreas específicas com duração de 12 meses (doze) e carga horária de 40 à 160 horas a depender do curso.

Entre os cursos oferecidos, est√£o: Assistente Administrativo, Mec√Ęnico de Refrigera√ß√£o, Pedreiro, Pintor, Instalador Hidr√°ulico, Doces e Salgados, Operador de Computador. Cada curso ter√° um perfil diferenciado, devendo aos candidatos preencherem aos pr√©-requisitos necess√°rios para obten√ß√£o da vaga.

De acordo com o prefeito Luis Fernando, a parceria vai possibilitar qualificação profissional apenas aos jovens como também adultos que necessitam de recolocação no mercado de trabalho.

‚ÄúEssa √© mais uma a√ß√£o de valoriza√ß√£o e reconstru√ß√£o do nosso munic√≠pio. Uma vez que disponibilizamos oferta de cursos que qualifique nossa popula√ß√£o, estamos oportunizando a recoloca√ß√£o de jovens e adultos no mercado de trabalho e com isso fomentando o aquecimento de nossa economia‚ÄĚ, explicou o prefeito destacando a parceria do Sistema FIEMA, e sua excel√™ncia na oferta de educa√ß√£o profissional.

Para o presidente da Fiema, Edilson Baldez, além do conhecimento, a oportunidade gera ainda a possibilidade de ingressar no mercado de trabalho ou investir no seu próprio negócio, elevando a qualificação da mão-de-obra.

‚ÄúPara o Sistema FIEMA √© uma grande satisfa√ß√£o essa parceria que n√£o √© de hoje. Acima de tudo nesse momento estamos atendendo uma demanda apresentada pelo prefeito, trazendo estes cursos. Isto √© educa√ß√£o‚ÄĚ, completou.

Cursos profissionalizantes

Os cursos s√£o direcionados para jovens a partir de 18 anos al√©m de adultos e usu√°rios j√° beneficiados pelos servi√ßos da SEMAS. No total ser√£o disponibilizadas cerca de 25 vagas para cada modalidade, totalizando 150 oportunidades direcionadas para os mais diversos p√ļblicos.

Para ter acesso à vaga, o candidato terá que possuir ensino médio completo ou cursando atender o perfil do curso pleiteado além de apresentar o RG, CPF, Comprovante de residência e escolaridade.

Sinceramente, não dá para negar o envolvimento de gente do governo comunista do Maranhão na greve forçada que foi marcada para esta sexta-feira, 28.

Na imagem acima, alguns (poucos) sindicalistas da CUT, tocando fogo em pneus para bloquear vias de acessos de trabalhadores, sem a presença da polícia, que parece estar de braços cruzados, como se estivesse simplesmente cumprindo ordens superiores.A polícia parece que não esteve no local, se esteve, se fez de morta.

Para piorar, o irm√£o do deputado federal Weverton Rocha do PDT (atualmente dono das emissoras do Lob√£o) ¬†que √© sindicalista, fica enviando imagens para meu celular da “greve” desde a madrugada:

Seria fácil, se não quisessem perder um dia de produção, mas, no Maranhão da mudança, tudo conspira para defender o petismo!

Greve do PT:

A p√° de cal sobre os trabalhadores, que pagam impostos para sustentar parasitas, foi mesmo a greve de √īnibus anunciada agora a pouco pelos Rodovi√°rios. Seria f√°cil, caso os governantes, autoridades de S√£o Lu√≠s entrassem a fundo na quest√£o. Mas, n√£o querem. Parecem aceitar tudo, parecem aprovar a safadeza petista!

Abaixo, uma breve lembrança de como secretários do governo do estado e da prefeitura de São Luís, juntamente com petistas armados de facas, agindo com violência, deram um fim numa manifestação pacifica em plena Praça Maria Aragão, palco de eventos democráticos.

 

Nota:

Na rep√ļblica democr√°tica comunista, governada por um ex-juiz. Apesar da viol√™ncia, ningu√©m foi preso, julgado, muito menos condenado.

Na √©poca dos ataques dos petistas armados de facas, o coment√°rio era de que os baderneiros, em companhia dos secret√°rios estavam num evento do governo nas proximidades do Pal√°cio dos Le√Ķes. Fiquem com as fotos:

Secret√°rio municipal de Cultura (petista)

Policial ferido teria sofrido agress√£o ao tomar faca de petista enfurecido

 

Senador maranhense disse que as autoridades não podem ter mais direitos e privilégios que cidadão comum.

O Senado Federal aprovou por unanimidade na noite desta quarta-feira (27), em primeiro turno, a Proposta de Emenda √† Constitui√ß√£o (PEC) 10/2013, que acaba com foro especial para diversas autoridades. Pelo texto aprovado, fica mantido o foro por prerrogativa de fun√ß√£o somente para o presidente da Rep√ļblica e para os presidentes do Supremo Tribunal Federal, da C√Ęmara dos Deputados e do Senado.

Plenário do Senado, senador Roberto Rocha (PSB-MA).Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado.

Ministros de estado, governadores, prefeitos, presidentes das c√Ęmaras municipais e assembleias legislativas, presidentes e ministros de tribunais superiores e de justi√ßa dos estados, ministros do Tribunal de Contas da Uni√£o, al√©m do procurador-geral da Rep√ļblica, embaixadores, integrantes de tribunais regionais, ju√≠zes federais e integrantes do Minist√©rio P√ļblico perdem o foro especial

Para o senador Roberto Rocha (PSB-MA), o Brasil avan√ßa ao igualar os direitos das autoridades p√ļblicas aos do cidad√£o comum. ‚ÄúExistem quase 40 mil pessoas com direito ao foro privilegiado. √Č irreal e algo que n√£o existe em pa√≠ses como os Estados Unidos e no continente europeu. A nossa constitui√ß√£o √© muito clara, quando diz que todos s√£o iguais perante a lei. Portanto, o fim do foro privilegiado coloca todos no mesmo patamar de direitos e deveres‚ÄĚ, disse.

A Proposta de Emenda √† Constitui√ß√£o permite a pris√£o de membros do Congresso Nacional condenados em segundo grau, nas infra√ß√Ķes comuns. Al√©m disso, a PEC inclui expressamente a proibi√ß√£o de que seja institu√≠do qualquer outro foro especial no futuro. ‚ÄúO fim do foro corrige distor√ß√Ķes e impede que mais injusti√ßas possam reinar ainda no Brasil. Igualar os direitos a todos moraliza a sociedade e deixa para tr√°s fragmentos e costumes aristocr√°ticos e incomuns‚ÄĚ, afirmou Roberto Rocha.

Se aprovada em segundo turno no Senado, a PEC 10/2013 ser√° encaminhada para delibera√ß√£o em dois turnos na C√Ęmara dos Deputados. Se for aprovada, ela segue para a promulga√ß√£o pelo presidente do Congresso Nacional.

 

O petista integra a mesma corrente interna do Lula, a CNB, e chegou a conversar com o ex-presidente sobre os projetos que defende para o partido nas elei√ß√Ķes de 2018 no Maranh√£o.

O deputado estadual Z√© In√°cio (PT) participou, na √ļltima segunda-feira (24), em Bras√≠lia, de uma reuni√£o com lideran√ßas ind√≠genas de todo o pa√≠s, conduzida pelo Presidente Lula. A na√ß√£o ind√≠gena esteve na capital federal reivindicando demarca√ß√£o de suas terras que correm riscos de retrocesso com a pol√≠tica do governo Michel Temer (PMDB).

Durante a reuni√£o, as lideran√ßas ind√≠genas pediram o apoio do Lula e da bancada do PT no Congresso para pauta federal e tamb√©m nos Estados. O ponto principal √© o medo da volta da viol√™ncia contra os √≠ndios em v√°rias regi√Ķes do pa√≠s.

Para o deputado, reuni√Ķes como essa s√£o imprescind√≠veis para que permane√ßa a luta contra o governo golpista. ‚ÄúN√£o podemos admitir retrocesso na legisla√ß√£o que trata sobre as demarca√ß√Ķes de terras ind√≠genas. J√° basta a tentativa do governo golpista de extinguir a FUNAI‚ÄĚ, enfatizou.

Assim como as lideran√ßas ind√≠genas, diversas centrais sindicais organizam greve geral (ou paralisa√ß√£o nacional) para a pr√≥xima sexta-feira, dia 28. De acordo com a organiza√ß√£o, esta pode ser a maior mobiliza√ß√£o de trabalhadores e de diversos setores da sociedade dos √ļltimos 30 anos no Brasil. O protesto contra as reformas da Previd√™ncia e trabalhista e a Lei da Terceiriza√ß√£o est√° sendo convocado por oito centrais sindicais que, juntas, representam mais de 10 milh√Ķes de trabalhadores.

Disputa pelo PT/MA e as elei√ß√Ķes de 2018

Z√© In√°cio aproveitou sua passagem por Bras√≠lia para fazer algumas articula√ß√Ķes pol√≠ticas visando o fortalecimento de sua lideran√ßa no PT.

O deputado concorreu, no Processo de Elei√ß√Ķes Direta do PT (PED/PT), a presidente estadual do partido e n√£o obstante ter expressiva vota√ß√£o, a elei√ß√£o encontra-se sub judice a espera de aprecia√ß√£o de v√°rios recursos que est√£o sob a responsabilidade da dire√ß√£o nacional do partido. S√≥ a partir do julgamento desses recursos √© que saberemos, em definitivo, que vai comandar o PT pelos pr√≥ximos tr√™s anos.

Vale ressaltar, que Z√© In√°cio integra a mesma corrente interna do Lula, a CNB, e chegou a conversar com o ex-presidente sobre os projetos que defende para o partido nas elei√ß√Ķes de 2018, entre os quais a exig√™ncia da vaga de vice-governador numa eventual alian√ßa com o PCdoB do governador Fl√°vio Dino. (Robert Lobato)

“Omiss√£o do governo”, reclamam familiares dos policiais civis que misteriosamente desapareceram h√° 5 meses.

Enquanto o governo comunista se cala, os familiares j√° recorreram at√© aos organismos internacionais, como OEA e ONU, devido a falta de creibilidade que o n√ļcleo da SSP-MA, tem demostrado sobre o estranho sumi√ßo dos militares maranhenses.

 

Tudo indica que, pela falta de interesse dos governantes, √īnibus dever√£o permanecer nas garagens¬†amanh√£ para fortalecer a greve do PT de Lula…¬†

Pareceu muito estranho que, ap√≥s anuncio de greve geral, os rodovi√°rios, os mesmo que sempre que anunciam que v√£o paralisar suas atividades, rapidamente os governantes (prefeitura, secret√°rios, at√© o governador comunista) entram na briga para impedir que os √īnibus n√£o deixem de circular, impedindo os trabalhadores, estudantes, de sa√≠rem de suas casas. Mas, pelo jeito, as for√ßas do governo comunista trabalham pela greve. Mas pelo visto, tudo conspira pela greve de amanh√£.

Abaixo, informação confirmada que rodoviários vão paralisar suas atividades, consequentemente toda acidade amanhã:

 

1 2 3 13