Monthly Archives: fevereiro, 2017

Esquema eleitoreiro de Weverton Rocha e Fl√°vio Dino, para reeleger Edivaldo Holanda J√ļnior, trouxe preju√≠zos caros aos eleitores da capital do Maranh√£o…

Quem fiscaliza?

Enquanto isso, no “Maranh√£o da mudan√ßa”, os √≥rg√£os p√ļblicos n√£o conseguem ver o √≥bvio.

O Poder Legislativo nos tr√™s n√≠veis: municipal (al√ī, Astro de Ogum), estadual e federal, continuam de os olhos fechados e m√£os atadas para o sumi√ßo de dinheiro federal.

Abaixo, reproduzo den√ļncia grave feita pelo jornalista Marco D√©√ßa:

O prefeito Edivaldo J√ļnior (PDT) literalmente abandonou a cidade logo ap√≥s o resultado das elei√ß√Ķes, que lhe garantiu ‚Äď a f√≥rceps ‚Äď novo mandato de quatro anos.

E a popula√ß√£o come√ßa a pagar a conta pelo estelionato eleitoral praticado pelo pedetista. Duas quadras esportivas tradicionais, nos bairros da Alemanha e da Liberdade, come√ßaram a ser reformadas durante o processo eleitoral ‚Äď apesar de ter recursos liberados desde 2015 ‚Äď com a promessa de que seriam entregues ainda em 2016, num conv√™nio de quase R$ 300 mil.

Hoje, ambas estão abandonadas. Foi só terminar o segundo turno e as equipes de trabalho simplesmente abandonaram o local.

Detalhe: a prefeitura chegou a receber do Ministério dos Esportes um repasse de R$ 149.900,25, em 13 de janeiro de 2016, especificamente para construção da cobertura da quadra. (Veja print acima)

Outros R$ 124.921,88 foram liberados pelo Ministério, ainda em 28 de dezembro de 2015, para a obra da Liberdade, que nunca foi feita.

Ninguém, sabe o que foi feito com o dinheiro, mas as imagens mostram que a quadra nunca viu cobertura alguma.

Além do dinheiro para as quadras, a Secretaria Municipal de Esportes (Semdel) teve liberado mais R$ 214.805,63 para reforma dos estádios Jairzão, no Coroadinho, e Beira-Rio, na Ilhinha, além da construção de vestiários e arquibancadas.

Durante a campanha, Edivaldo chegou a visitar os locais, acompanhados de candidatos a vereador.

Mas até hoje a obra não foi concluída em nenhum dos dois bairros, embora o dinheiro tenha sido liberado desde 21 de dezembro de 2015.

De acordo com o que apurou o blog, a Semdel n√£o conseguiu entregar documenta√ß√£o no prazo √° Caixa Econ√īmica Federal, embora os dois pr√©dios fiquem praticamente ao lado, na Rua de Nazar√©, no Centro.

Este √© mais um custo da reelei√ß√£o do prefeito Edivaldo J√ļnior.

Mas este dinheiro é federal. E a bronca é grande.

AM√ČRICA, LAN√áAMENTOS E PROGRAMA ESPACIAL

O ministro Jos√© Serra vem trabalhando h√° algum tempo para retomar as conversas com os Estados Unidos sobre o uso do Centro de Lan√ßamento de Alc√Ęntara – CLA. √Č um Centro que tem localiza√ß√£o excepcional, muito pr√≥ximo da linha do Equador, aspecto que permite uma economia de milh√Ķes de d√≥lares a cada lan√ßamento. Sim, porque os lan√ßamentos ali efetuados s√£o 30 por cento mais baratos em rela√ß√£o a qualquer outra plataforma no mundo.

O governo de Fernando Henrique tentou resolver essa quest√£o, mas o texto acordado entre os dois pa√≠ses foi rejeitado pelo Congresso Nacional. A import√Ęncia desse acordo, que na verdade √© apenas comercial, reside no fato de que ele dar√° uso permanente ao Centro. Os americanos pagar√£o por isso e esse dinheiro pode ser usado no desenvolvimento do programa espacial brasileiro. A tend√™ncia √© que isso reverta a aventura com a Ucr√Ęnia, um acordo que foi danoso ao pa√≠s, fazendo-nos perder 10 anos (sem lan√ßamentos) a um custo de 500 milh√Ķes de d√≥lares. Dinheiro desperdi√ßado sem nenhum benef√≠cio para o pa√≠s.

Porém, esse tipo de negociação é basicamente demorado, pois o texto do acordo entre os dois países terá que ser submetido ao Congresso Brasileiro e ao Americano. Portanto, ainda haverá longo período de tempo até ser colocado em vigor, se tudo for aprovado.

Ouvi muitos questionamentos de pessoas sobre o ITA ser prejudicado e aproveito para responder que n√£o haver√° nenhum preju√≠zo. Como falei acima, o acordo ser√° apenas comercial, pois nenhum pa√≠s transfere tecnologia espacial para outro. Os pa√≠ses que j√° det√™m o ciclo completo dessa tecnologia n√£o transferem nenhum conhecimento, pois existem leis severas que n√£o admitem essa transfer√™ncia. √Č simples entender, uma vez que o mesmo foguete que leva o sat√©lite, pode levar bombas, inclusive, se transformando em foguete bal√≠stico intercontinental. Uma arma de guerra. Por isso ningu√©m pode esperar que a presen√ßa dos americanos em Alc√Ęntara signifique transfer√™ncia de tecnologia. Al√©m dos EUA, os pa√≠ses que j√° dominam o ciclo completo s√£o: R√ļssia, Uni√£o Europeia, China e √ćndia. Nenhum deles passa nada a ningu√©m. Dessa forma, trata-se apenas de aluguel do CLA, n√£o significando facilidades para termos a tecnologia espacial √† disposi√ß√£o.

Então o que teremos que fazer? Teremos que desenvolver a nossa própria tecnologia, não temos opção quanto a isso. Aliás, como todos os países citados fizeram. E o que precisamos dominar? A tecnologia de grandes foguetes ou lançadores, a tecnologia do combustível Рou propelente líquido, que não é instável como o combustível sólido, que dominamos. Por fim, temos também que desenvolver a tecnologia de satélites avançados com grande poder de resolutividade.

Nesse ponto é que entra o ITA, formando pessoal altamente qualificado, imprescindível para essa empreitada. O que falta, e sempre faltou, foram recursos para desenvolvermos essa tecnologia, pois contar apenas com recursos orçamentários acaba não sendo confiável. Isto porque sem garantias firmes, as pesquisas param e os técnicos se desestimulam e muitos vão embora, inclusive do país. Até hoje isso foi tentado sem resultados palpáveis ao final.

E por que o Programa Espacial Brasileiro √© importante? Al√©m da expectativa de desenvolvimento de tecnologia de ponta, que √© imediatamente usada na medicina moderna em equipamentos cir√ļrgicos n√£o invasivos e no diagn√≥stico por imagem, o controle de nossas fronteiras s√≥ pode ser feito por meio do uso de sat√©lites e de outros sistemas. Isto √© fundamental para impedir o contrabando de armas e de drogas. Ali√°s, como fazer o controle de nossas fronteiras na Amaz√īnia com a diversidade de rios que chegam at√© as cidades e acabam por permitir a organiza√ß√£o de grandes quadrilhas de criminosos como vimos agora em Manaus? Temos ao total 16.866 quil√īmetros de fronteiras terrestres e mais uns 8 mil quil√īmetros de costa mar√≠tima, portanto √© uma tarefa extremamente dif√≠cil.

Mas o dom√≠nio completo da tecnologia espacial permite ainda desenvolver melhores previs√Ķes meteorol√≥gicas, clim√°ticas, melhores sistemas de navega√ß√£o e de comunica√ß√£o. Enfim, um pa√≠s grande e continental como o Brasil n√£o pode deixar de dominar esse aspecto.

Isto √© de fato urgente, sob pena do pa√≠s correr o risco de se transformar em um M√©xico, que convive com grandes cart√©is de drogas e criminalidade desenfreada. √Č um programa de Seguran√ßa Nacional!

Contudo, nessas circunst√Ęncias em que vivemos, com o Brasil mal saindo de uma severa depress√£o econ√īmica, como poderemos encarar um programa caro como esse?

Vejam que temos, sim, condi√ß√Ķes de viabilizar os recursos para tornar poss√≠vel o Programa Espacial Brasileiro, imprescind√≠vel para o futuro do pa√≠s. E basta seguir os passos do que foi feito para viabilizar a nossa ind√ļstria aeron√°utica, algo que na √©poca de sua concep√ß√£o tamb√©m era um sonho distante e hoje √© a terceira ind√ļstria aeron√°utica do mundo.

Mas isso √© outra hist√≥ria, que explicarei no pr√≥ximo artigo…

 

A prefeitura de São José de Ribamar conseguiu efetuar nesta terça-feira (31), o pagamento dos salários dos servidores do município, conforme calendário estabelecido no primeiro dia da nova gestão ribamarense.

Depois de uma força-tarefa administrativa, técnicos da Secretaria de Administração e Finanças  (SEMPAF), da Secretaria da Receita e Fiscalização Urbanística e da  Assessoria Jurídica (ASSEJUR) conseguiram desbloquear as cotas dos recursos provenientes do Fundo de Participação do Município (FPM), relativas às parcelas dos dias 20 e 30.

As verbas tinham sido bloqueadas em consequ√™ncia das d√≠vidas deixadas pela gest√£o passada, cerca de R$ 30 milh√Ķes referentes a d√©bitos previdenci√°rios e fiscais.

Com parte dos recursos do dinheiro da repatriação, destinada ao município, alguns desses débitos foram renegociados e parte dos valores do FPM foi finalmente desbloqueado.

Com rela√ß√£o especificamente √† folha efetivada ontem, algumas gratifica√ß√Ķes, possivelmente t√©cnicas e legais, ficaram de fora. No entanto, ap√≥s uma avalia√ß√£o da legisla√ß√£o e das concess√Ķes, elas ser√£o devidamente pagas numa folha complementar, de acordo com informa√ß√Ķes da SEMPAF.

‚ÄúNingu√©m vai deixar de receber seus direitos.¬† J√° come√ßamos esse trabalho de avalia√ß√£o e todas as pend√™ncias que forem identificadas e¬† comprovadas ser√£o resolvidas numa folha complementar‚ÄĚ, garantiu a secret√°ria Joana Marques¬† (SEMPAF).

 

O deputado estadual Wellington do Curso (PP) anunciou que o Gabinete M√≥vel est√°, nesta semana, na cidade de Imperatriz. O objetivo √© captar as principais sugest√Ķes e den√ļncias da popula√ß√£o e apresent√°-las, posteriormente, na Assembleia Legislativa do Maranh√£o, encaminhando ao Governador e Prefeitos, a fim de que solucionem os problemas apresentados.

Sobre o Gabinete M√≥vel, Wellington destacou o Programa ‚ÄúOuvindo o Maranh√£o‚ÄĚ e afirmou que esse √© apenas o in√≠cio dos mutir√Ķes que est√£o por vir.

‚ÄúCom o projeto Ouvindo o Maranh√£o, o nosso objetivo √© percorrer o estado, dando voz √† popula√ß√£o, fortalecendo o mandato popular com cara e as necessidades do povo. Assim, levamos o Gabinete at√© √†queles que n√£o tem condi√ß√Ķes de ir √† Assembleia, em S√£o Lu√≠s. J√° temos feito isso na Regi√£o Metropolitana da capital e, agora, ap√≥s recebermos v√°rias solicita√ß√Ķes, passaremos essa semana na cidade de Imperatriz. A nossa assessoria j√° est√° pronta para anotar as demandas e, assim que retornar, oficializar na Assembleia, onde encaminharemos as den√ļncias e solu√ß√£o dos problemas identificados ao Governador e Prefeitos, j√° que cabe a eles efetivar a resolu√ß√£o, o que foge da compet√™ncia do Parlamento, que √© legislar e fiscalizar o Executivo. Inclusive, ap√≥s a sess√£o plen√°ria de amanh√£, eu tamb√©m irei √† Imperatriz para acompanhar as atividades j√° desenvolvidas. Para n√≥s, a participa√ß√£o popular √© muito importante e isso nos motiva cada vez mais a n√£o desistir de um Maranh√£o melhor.‚ÄĚ, disse Wellington.

Hoje (01), o Gabinete Móvel ficará na Praça da Fátima, em Imperatriz, durante todo o dia. A partir de amanhã, percorrerá os bairros da cidade. Qualquer solicitação pode ser encaminhada para o WhatsApp do Gabinete Móvel (98) 99911 0011.

O time de S√£o Jos√© de Ribamar, o ‚ÄúPeixe Pedra‚ÄĚ, joga nesta quarta-feira (01), contra o Sampaio em jogada v√°lida pela segunda rodada do campeonato maranhense de futebol. O jogo acontece no est√°dio Castel√£o, √†s 20h30.

O time que conta com o apoio da Prefeitura de S√£o Jos√© de Ribamar entra em campo precisando vencer j√° que o time terminou a primeira rodada como o terceiro do Grupo ‚ÄúA‚ÄĚ, do campeonato. O atacante Itallo Phellipe disse estar confiante juntamente com os companheiros que tiveram alguns dias para descansar e tamb√©m analisar tecnicamente o advers√°rio.

‚ÄúTivemos um bom recesso da competi√ß√£o onde analisamos os pontos fracos e fortes do advers√°rio. Estamos num treino t√°tico bastante estimulado pelo Paulinho Kobayashi, de forma que vamos em busca da vit√≥ria‚ÄĚ, garantiu.

J√° o presidente do time, Hugo Roberto, avalia o inicio da competi√ß√£o com cautela e otimismo, ‚ÄúIniciamos o ano de forma positiva com o apoio e patroc√≠nio de v√°rias institui√ß√Ķes, assim como a Prefeitura. Vamos continuar intensificando o trabalho para alcan√ßar √™xito nas partidas, enxergando cada uma como √ļnica e trazendo √© claro alegria para o nosso torcedor‚ÄĚ, pontuou.

Quebradeira: Prefeita deixou cidade at√© sem ambul√Ęncia…

Ambul√Ęncia nova foi deixada sem motor…

Uma s√©rie de problemas est√° nas m√£os da administra√ß√£o p√ļblica municipal de Paraibano. O prefeito Z√© H√©lio (PT), ap√≥s pedir aos seus secret√°rios municipais uma avalia√ß√£o sobre o recebimento dos bens p√ļblicos transferidos da administra√ß√£o anterior da ex-prefeita Aparecida Furtado, constatou que diversas irregularidades v√£o levar tempo para ter conserto.

Cada secretário fez uma lista, registrou em fotos e enviou ao prefeito. Na Secretaria Municipal de Obras e Transportes, o negócio é sério. Todos os veículos foram entregues com problemas.

A ambul√Ęncia de placa OJK-4862 foi entregue sem o motor e todo o espa√ßo para o paciente est√° deteriorado.

Os micro√īnibus de Placas PSA-O246 e NHQ-7768 est√£o com motor fundidos, um com o vidro traseiro quebrado, sem bateria, sem pneus de estepe, com problemas nas instala√ß√Ķes, pneus carecas e sem revis√£o, estofados sujos e rasgados.

O √īnibus escolar placa HUB-4276 foi entregue sem bateria, pneus carecas, sem estepes, sem para-brisas, com problemas nas instala√ß√Ķes, e cadeiras estofadas com rasg√Ķes. As chaves do ve√≠culo foram deixadas na igni√ß√£o.

√Ēnibus escolar PLACA NX6 PLACA 5063 sem bateria, sem instal√ß√£o, pneus carecas, sinaleiras, vidros quebrados e janelas sem vidros.

√Ēnibus Escolar Placa NHQ-6999, em p√©ssimo estado de conserva√ß√£o, sem revis√£o, sem est√©pe, sem bateria, com pneus carecas, alguns outros √īnibus sem placas, cadeiras estofadas rasgadas, far√≥is e lanternas quebradas, parabrisa quebrado e outros problemas.

Acompanhe abaixo, as imagens retiradas pelo blog Paraibano News:

 

Obra anunciada durante elei√ß√£o est√° parada.Onde est√£o os √≥rg√£os p√ļblicos, MP e TRE?

Deixarei abaixo, uma imagem retirada do blog do Marco D√©√ßa divulgando uma foto tirada por moradores do bairro Cidade Oper√°ria, cobrando o cumprimento das promessas feitas durante as elei√ß√Ķes de 2016, quando o prefeito Edivaldo Holanda J√ļnior anunciou que “as obras n√£o poderiam parar”.

Construção da terceira via:

As elei√ß√Ķes de 2018 poder√£o repetir os feitos de 2006, quando a terceira via deu vit√≥ria pela primeira vez √† oposi√ß√£o ao grupo Sarney no Maranh√£o.

Lembram a vit√≥ria de Jackson Lago nas elei√ß√Ķes em 2006, quando ¬†ningu√©m acreditava na forma√ß√£o duma terceira via, formada pelo PSB, mas que foi decisiva para tirar a elei√ß√£o da ‘branca’ (Roseana Sarney)?

Construção da terceira via I:

A costumados a classificar todos que n√£o ‘rezam na cartilha vermelha” (que n√£o concordam com as pr√°ticas do comunismo) de serem ‘SARNEYSISTAS’, o grupo de Fl√°vio Dino e M√°rcio Jerry perder√° aliados e espa√ßos.

Construção da terceira via II:

Desgastados com os esc√Ęndalos dos ‘alugueis camaradas’, aumentos de impostos: ICMS, combust√≠veis, ra√ß√Ķes animais, refrigerantes, energia el√©trica, etc, os comunistas do Maranh√£o sabem que ter√£o problemas para a reelei√ß√£o de Fl√°vio Dino ao governo. Devido seu gigantesco desgaste, at√© a ex-governadora Roseana Sarney j√° est√° de volta √† cena pol√≠tica.

√Č bem a√≠ que entra uma terceira via.

Jerry empurra Z√© Reinaldo pra escanteio…

De olho numa das vagas da C√Ęmara Federal, M√°rcio Jerry pretende fazer uma grande bancada de deputados federais em Brasilia, tamb√©m, de v√°rios deputados estaduais nas elei√ß√Ķes que se aproximam. Prova disso s√£o os gastos exorbitantes com publicidades e na constru√ß√£o de sua imagem como pol√≠tico. Jerry quer reconstruir uma imagem diferente de um capataz, cheio de vingan√ßa e que persegue…

Jerry empurra Z√© Reinaldo pra escanteio I…

Nome da esquerda para o senado federal ser√° Weverton Rocha do PDT.

Das duas vagas disponíveis, o governador Flávio Dino sabe que não poderá garantir a eleição de dois candidatos.

Jerry empurra Zé Reinaldo pra escanteio II

Como o deputado Z√© Reinaldo deu as costas para os comunistas na vota√ß√£o do IMPEACHMENT de Dilma Rousseff, a dupla Dino & Jerry, que ‘investiram’ alto para Dilma n√£o ser afastada, amargaram uma vexat√≥ria derrota promovida pelos deputados federais do Maranh√£o, em Brasilia.

Como s√£o vingativos, far√£o de tudo para eleger um senador que n√£o fortale√ßa a chamada ‘direita nacional’. Os nomes todos sabem: Weverton Rocha e, talvez, se os Le√Ķes do Pal√°cio repetirem as elei√ß√Ķes de 2016 (comerem muita carne do povo), poder√£o fazer, quem sabe, o Waldir Maranh√£o senador.

Jerry empurra Zé Reinaldo pra escanteio III

Como os comunistas já ensaiam que darão todo apoio a Waldir Maranhão, que tem sua indicação via PT nacional ao senado, o ex-governador Zé Reinaldo, que num fato corajoso não se candidatou ao senado em 2006, priorizando apoio a Jackson Lago,  poderá correr nas duas outras vias.

Jerry empurra Zé Reinaldo pra escanteio IV

Bem articulado, Zé Reinaldo tem o apoio de várias lideranças políticas que não se resumem à siglas partidárias, ou seja, tanto quem está ligado aos comunistas, quanto aos Sarneysistas deverão abraçar sua candidatura. Desta feita, o Zé, mais uma vez terá sua chance de realizar seu maior proposito na política; ser senador pelo Maranhão.

Abaixo, deixo um recorte do blog do Diego Emir:

¬≠ Dinheiro do ‚Äúaluguel camarada‚ÄĚ precisa ser devolvido, diz Andrea Murad

Do blog do Robert Lobato:¬†A deputada Andrea Murad (PMDB) comentou que a exonera√ß√£o de Jean Carlos e devolu√ß√£o da casa em dezembro com ‚Äúaluguel camarada‚ÄĚ n√£o s√£o suficientes, mas que √© preciso o ressarcimento do valor aos cofres p√ļblicos, principalmente, referente aos meses em que a casa onde est√° instalada uma unidade de interna√ß√£o da FUNAC n√£o foi utilizada.

Na semana passada, aconteceu uma conciliação na Vara de Interesses Difusos e Coletivos de São Luís, quando ficou acertado retirar a unidade da FUNAC no fim deste ano. Para deputada, não houve recuo do governo, mas sim a continuação de um aluguel que beneficia um filiado do PC do B com um contrato no Estado. Continue lendo aqui:

 

1 9 10 11