Politicalha em notas: Carnaval falido de São Luís é substituído por “shows de crentes”…

2

Em pleno carnaval, a cidade esvaziada…

População em paz nas suas casas. Como a grande maioria aproveitou para viajar, a cidade ficou calma. Nem o carnaval do circuito do Centro da Cidade foi capaz de quebrar o silêncio.

São Luís do jeito que Jesus gosta…

O carnaval do Rio de Janeiro, com o diabo no coro, muitos acidentados, o “inferno de Dante” a quatro,  com Acione e tudo, o jeito foi o prefeito irmão, Holandinha, contratar atrações do gospel nacional para fazerem shows. Até aí beleza, o problema é que a Cultura municipal, que, há anos não paga algumas atrações locais, até hoje, tem brincantes reclamando que nunca receberam seus pagamentos. Não pega bem para a igreja.

Calote é pecado, irmão…

No clima de calma, o jeito foi contratar atrações da igreja. Abaixo, postagem do Davi Max:

Comunistas recebem o “troco”

Sempre lucrando com a dicotomia do “Pró-Sarney” e “contra-Sarney”, comunistas estão tendo que ouvir que o carnaval do Maranhão só existiu durante o governo “da branca”.

O carnaval falido de São Luís

Bem longe de São Luís, os foliões ludovicenses foram buscar diversão em outras cidades. A cidade de São Luís está vazia, o trânsito fluindo bem, a cidade, enfim, ganhou ares de pacifica, tudo está calmíssimo…

O carnaval falido de São Luís I

Tchau, Holanda-Dino…

Nossa “Marrom”, que sempre desfilou nos carnavais do RJ, apareceu dando tchau para HolanDino. A cantora maranhense, Alcione Nazaré, surpreendeu o público que lotou a Marquês da Sapucaí neste domingo (foto: Aquiles Emir).

Campanha eleitoral comunista:

Viram aí o excesso de publicidade do governo comunista? Mas, não eram eles que não usariam a máquina pública em eleições?

Uso antecipado das estruturas públicas do governo estava sendo feito abertamente, até que que a mídia da capital deu o alerta.

Campanha eleitoral comunista I

Palanque eleitoral comunista, Flávio Dino “comendo as carnes dos pobres”. Abaixo, algumas imagens mostrando secretários do governo no uso escrachado da máquina pública em beneficio eleitoreiro:

Secretários do governo de Flávio Dino agora aparecem como apoiadores de eventos carnavalescos, na mesma propaganda que inclui também o governo do Maranhão…

Nomes de auxiliares de Flávio Dino (Clayton Noleto e Simplício Araújo), que são candidatos nas eleições de 2018 – aparecem em banner de patrocinadores de carnaval em Açailândia, ao lado de instituições públicas, como Governo do Estado e Prefeitura; situação parecida ocorreu também com Márcio Jerry, que desautorizou a propaganda (Marco Deça)

Aprende, Dino…

De tanto culpar os Sarney de tudo, comunistas receberam o “troco”. Depois do fracasso cultural, das festas do São João e carnaval, a galera das redes sociais não perdoou e mandaram Flávio Dino aprender ser populista (saber fazer uso da maquina pública) com Roseana Sarney.

Há quem aposte na derrocada do antiga dicotomia “Pró-Sarney, “Contra-Sarney”, e acrescente um nome novo, seria a “terceira via”.

A turma das redes sociais não poupou a tática dos comunistas de sempre culparem os Sarneys. E agora, a falência do carnaval foi de Roseana, Flávio Dino?

Alô, Procon: quem fiscaliza?

Internautas reclamando de postos de combustíveis que estão vendendo combustíveis adulterados. A tática criminosa, segundo alguns consumidores que foram lesados, foi anunciar que estavam vendendo pelo preço abaixo da tabela, mas, acrescentando misturas aos produtos:

Confira abaixo a denuncia retirada das redes sociais:

Campanha educativa? rarararar!!!

E para fechar, uma campanha publicitária do Rio de Janeiro, em pleno carnaval para “conscientizar” os foliões contra assédio.

Será que vai funcionar no meio de tanta gente mal intencionada? De qualquer forma, aconselho usar “cintos de castidades”, não levar celulares, nem carteiras. Lembrem-se da máxima comunista: “Arrastões são exageros da mídia”, quando estiverem sendo assaltados, mortos, violentados, estuprados, os bandidos são “vítimas da sociedade”.

 

2 respostas para “Politicalha em notas: Carnaval falido de São Luís é substituído por “shows de crentes”…”