Holanda e a mudança que demorou 4 anos…

4

O segundo mandato.

Nosso simpático prefeito precisa de fato cumprir suas metas. A principal delas, passados 4 anos, que os cortes sejam feitos, que dessa vez consigam enxugar a máquina pública.

Para a “mudança” de fato acontecer em nossa cidade a “politicagem” não poderá travar sua gestão. Em outras palavras, Holanda precisa ter pulso forte, destravar a Comunicação e outras “porteiras” entregues aos “comunas”.

Na imagem abaixo, um anuncio tardio: Várias secretarias que foram usadas apenas como “penduricalhos” para contemplar “aliados”, que nada fizeram pela cidade.

O PDT, seu partido atual,  não poderá ser tão voraz, sedento, como foi no “primeiro tempo da partida”. Edivaldo Holanda deverá se preocupar com seus planos para o futuro, começar desde já traçar um rumo para 2018. O jovem Edivaldo, se tiver o tino do pai, nessa política de morte, deverá pensar na sua sobrevivência política, pois no canibalismo comunista o que não faltam são nomes e planos para um futuro próximo que não contempla Holanda.

 

 

4 respostas para “Holanda e a mudança que demorou 4 anos…”

  1. Uniao so leva mais DINHEIRO para os bolsos dos apanhiguados. Que involução! Acho isso muito retrogodo.

  2. Acho um disperdicio. Asfaltp sorrisal do governo, tai uma excelente forma de gastar nosso dinheiro dos impostos.Isso mostra A FALTA DE zelo com o dinheiro público que é pago por nós, população.

  3. Segundo mandato não há reeleição, logo, nada de trabalho nem mudanças significativas. Teresina vai investir hum bilhão para ampliar a metroferrovia, aqui o importante e obrigatório mais buracos, ou mais asfalto. Que não cumpria lei12305/2010, política nacional al de resíduos sólidos,”fimdos lixões”, não cumprir a 12587/2012, Mobilidade Urbana,vencida em2015, prorrogadapara 2018,onde contempla também metroferrovias,hidrovias e ciclovias ignoradas pelo Prefeito, ex conselheiro da Dilma e Governador ex presidente da EMBRATUR, profundo conhecedor dos transportes de massa, modernos,seguros, rápidos, confortáveis e não poluentes.