Operação que prendeu o empreiteiro Barbosa pode alcançar Roseana Sarney e Ricardo Murad

0

Marcelo Viera – A Operação Lilliput deflagrada na manhã desta terça-feira pela Polícia Federal e que resultou na prisão do empreiteiro Antônio Barbosa Alencar e de auditores da Receita Federal, foi antecipada pelo Blog do Marcelo Vieira em março deste ano. Em agosto de 2014, Barbosa foi alvo da operação Cartago da PF que desarticulou uma esquema que desviou R$500 milhões da Caixa.

dimensao-e1468338889777Na publicação Fraudes, propinas, esquemas e corrupção sem dimensão… , o Blog do Marcelo Viera tratou exatamente do forte esquema de propina envolvendo empreiteiros, auditores da Receita Federal e políticos poderosos.

O post divulgado pelo Blog não revelou nomes pela falta de comprovação material que amparasse seu titular. As informações foram extraídas de uma gravação. Nela, agentes da PF interrogavam um homem de confiança de Barbosa, que tinha conhecimento total de como funcionava todo esquema.

Na gravação bombástica, o homem está dentro de um carro acompanhado de dois agentes federais. Segundo seus relatos, além de revelar com detalhes como funcionava o esquema de propinas para não ser autuado, conseguir fraudar documentos, sonegar impostos e não pagar multas, ele revelou um esquema que envolvia o mais alto escalão da política do Estado.

ricardo-murad-roseana-sarney-e1461790309397-1260x540-e1468338952204-768x463A ex-governadora Roseana Sarney é citada pelo delator, como a responsável em garantir facilidades para a Dimensão junto à Superintendência da Caixa Econômica Federal no Programa Minha Casa Minha Vida. Ainda segundo o delator, Barbosa pagava propina para Roseana pela facilidade.

Outro político da alta cúpula do então governo Roseana que obteve vantagem financeira no esquema comandado por Barbosa, foi o ex-secretário de saúde Ricardo Murad. Na gravação, o delator afirma que Ricardo Murad ganhou muito dinheiro com a construção da nova sede da Procuradoria-Geral de Justiça, na avenida Carlos Cunha. A ex-procuradora-geral de justiça, Fátima Travasso, também é citada no esquema como parceira de Ricardo Murad.

Os comentários estão desativados.