Monthly Archives: Maio, 2016

Empresário assinou termo de confidencialidade e começou a prestar depoimentos

O Globo

CURITIBA — O empresário Marcelo Odebrecht e a força-tarefa da Operação Lava-Jato deram o primeiro passo rumo a tão esperada delação premiada de executivos da empreiteira. Foi assinado na semana passada um termo de confidencialidade, a partir do qual eles começam a depor e a apresentar documentos. Só após análise de tudo o que for apresentado pelos executivos, os procuradores e a Justiça darão ou não o aval para a delação.2016-897916262-locale-globo-6oyvkp89uewgha7npt.jpg_20160323

A expectativa em torno da delação dos executivos da Odebrecht está na lista apreendida pela Polícia Federal, em março deste ano na casa de um funcionário da empresa, onde aparecem os nomes de cerca de 300 políticos que receberam recursos da empreiteira. As investigação avaliam que foram distribuídos R$ 55 milhões aos políticos.

Além de Marcelo, outros executivos da Odebrecht fariam delação. O pai de Marcelo, Emilio Odebrecht, também prestará depoimentos, de acordo com fontes ouvidas pelo GLOBO.

Os procuradores tratam com cautela esse primeiro passo da Odebrecht. No passado, o ex-diretor da Petrobras, Renato Duque, também assinou o termo de confidencialidade, mas não conseguiu fechar o acordo de delação, porque o MP considerou que o que foi apresentado por ele não colaborava com as investigações.

A primeira proposta de delação premiada apresentada pela construtora Odebrecht, semanas atrás, foi rejeitada pelos investigadores Lava-jato. Os advogados do maior empreiteiro do país apresentaram uma versão dos fatos que limitava as contabilidades do “Setor de Operações Estruturadas” à apenas uma estrutura de caixa dois da empresa. Esse setor era conhecido internamente como o “departamento de propina” da empresa.

A partir do termo de confidencialidade, Marcelo deve entregar todas as informações sobre contribuições feitas às campanhas eleitorais majoritárias. O empresário poderá detalhar os pedidos de contribuição feitos por políticos a ele e ao Grupo Odebrecht. Todos os partidos investigados no esquema de corrupção da Petrobras — PT, PMDB, PSDB e PP — podem ser implicados na delação da Odebrecht. Para a Lava-Jato, já não há mais dúvida que os pagamentos feitos pelo setor não eram apenas isso e sim uma diretoria constituída para pagar propinas a agentes públicos e políticos com o objetivo de obter vantagens em contratos públicos. Os termos apresentados também traziam poucos detalhes sobre como ocorriam as conversas com políticos.

A planilha, apreendida na 26ª fase da Lava-Jato, deflagrada em março, era de Benedicto Barbosa Silva Júnior, conhecido como “BJ”, presidente da Odebrecht Infraestrutura e um dos principais interlocutores do empresário Marcelo Odebrecht na alocação de recursos a campanhas políticas. O juiz Sergio Moro, depois, decretou sigilo sobre o processo ao qual as planilhas foram anexadas.

As planilhas relacionam políticos de diversos partidos do país a valores pagos pela Odebrecht, vários deles com foro privilegiado, como o presidente do Senado, Renan Calheiros, e o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, além de senadores e deputados federais.

A inclusão delas no inquérito em curso sobre o publicitário João Santana, marqueteiro do PT, pode fazer com que a denúncia tenha de ser encaminhada para apreciação do Supremo Tribunal Federal, retirando a decisão do juiz Sérgio Moro. Até agora não foram identificados quais os valores relacionados a políticos são doações legais de campanha, se foram de fato pagos e se podem ser relacionados a esquemas de propinas. Além das planilhas, também foram apreendidos documentos que citam obras feitas pela Odebrecht em diversos estados e municípios.

Ainda não é possível afirmar se as doações foram feitas legalmente ou por meio de caixa 2. Outros documentos descobertos pela Lava-Jato indicam que alguns desses repasses possam ter sido feitos sem o conhecimento da Justiça Eleitoral. Em depoimento à PF em fevereiro, quando foi preso pela Lava-Jato, Benedicto Júnior disse que o ex-presidente de holding, Marcelo Odebrecht, tinha que aprovar os “valores globais” que seriam doados pela empresa.

Na lista, estão políticos de vários partidos. Chama a atenção que os nomes estejam relacionados a codinomes. O senador José Sarney (PMDB), por exemplo, é chamado de “Escritor”. Renan Calheiros, o “Atleta”. Eduardo Paes, prefeito do Rio, tem como codinome “Nervosinho”. Eduardo Cunha (PMDB) , presidente da Câmara dos Deputados, é o “Caranguejo”. O senador Humberto Costa (PT), “Drácula”. O também senador Lindbergh Farias (PT) aparece como “Lindinho”, como, de fato, é conhecido. O apelido de Manuela Pinto Vieira d’Ávila, deputada federal pelo PC do B, é “Avião”.

Vencedor: Maranhenses deram o primeiro empurrão que obrigou palhaço ganhar dinheiro…

Em recente entrevista ao apresentador Jô Soares, Tiririca roubou a cena.

O apresentador global até tentou ser engraçado, mas Tiririca, ex-palhaço circense, hoje, humorista de renome,  o deputado federal, ironiza sobre política e assuntos ligados ao Brasil atual.

Após eleger Dilma, projeto de Refinaria, usada eleitoreiramente por Dilma, Lula e Sarney, dará prejuízos à Petrobras

 Petrobras terá que pagar danos causados pela refinaria eleitoreira de Dilma, Lula e Sarney. Sumiram: Quase 2 bilhões, os empregos prometidos e empreendimentos anunciados na região, quem vai lucrar são os defensores de Dilma.

Petrobras vai ter que pagar pelos danos causados ao estado, a quantia milionária de R$ 53,7 milhões, dum projeto de construção da Refinaria Premium 1 foi lançado em 2010.

Petrobras vai ter que pagar ao MA compensação ambiental de refinaria, a condenação foi determinada pela Justiça maranhense no total de R$ 53,7 milhões. Projeto de construção da Refinaria Premium 1 foi lançado em 2010.

A Justiça determinou nesta segunda-feira (30) que a Petrobras pague, em um prazo de 15 dias, ao Maranhão as parcelas restantes referentes à compensação ambiental da construção da Refinaria Premium 1, em Bacabeira (MA).

Sem título

Em Ribamar, chefão do TCE ficou no prejuízo após nomeação de fantasmas vir a público,

A situação do clã político ficou insuportável na cidade balneária, depois que Edmar Cutrim, pai de Gil Cutrim, ganhou as imagens do horário nobre da TV, ao afirmar ao jornalista da Rede Globo, que não sabia que um fantasma estava empregado em seu gabinete, recebendo quase 7 mil por mês sem pisar no local, desde o ano de 2013.

Fantasmagorico:

Thiago Maranhão presta depoimento no Tribunal de Contas do Maranhão, onde recebeu, por longos anos, sem ao menos pisar no local. Thiago Maranhão presta depoimento no Tribunal de Contas do Maranhão, ele é suspeito de ter sido funcionário ‘fantasma’ no TCE-MA. O médico prestou depoimento ao órgão na manhã desta segunda-feira (30).

O filho do deputado Waldir Maranhão (PP), no TCE, a fim de esclarecer sobre a suspeita de ter sido um funcionário “fantasma” durante o período em que foi servidor no órgão. No local, ele esclareceu a situação aos membros da sindicância que investiga a conduta do ex-servidor, exonerado no último dia nove de maio.

As informações são do blog ANB, de São José de Ribamar: 

Confira clicando aqui:

fanatsma

A MAIS COMPLETA IRRESPONSABILIDADE

O PT, muito compreensivelmente, vem tentando descaracterizar as famosas pedalada cometidas pelo governo da presidente Dilma como se fosse algo corriqueiro, até banal e sem importância, alguma coisa muito injusta e sem dolo, uma perseguição das elites, como gostam de dizer, dentro da lógica de nós (bons e amigos do povo) e eles (inimigos do povo) ou seja, bons são os que concordam com o que dizem e fazem e maus são os que não concordam com eles e apontam os seus erros.enganadores

Fazem um barulho danado tentando impor essa falácia enganadora, mas a realidade é muito, muitas vezes pior do que as pedaladas, que foram descobertas e que serviram de base para o impeachment.

O que fizeram vai muito além da irresponsabilidade das pedaladas. É loucura mesmo.

Aos poucos a dura verdade vem aparecendo e elas são estarrecedoras, pelo mal que causaram ao país, jogando a população na pobreza, no desemprego e tirando as oportunidades que por algum tempo o pais ofereceu a todos.

É tão grande o prejuízo que mesmo a mais qualificada das equipes econômicas vai levar algum tempo e precisar de muito apoio para colocar o país no rumo da normalidade. Por isso é preciso conhecer a fundo a herança deixada pelos governos de Lula e de Dilma, principalmente desta última, pelo tremendo voluntarismo e falta de diálogo do seu governo com a sociedade. Com isso nos colocou no fundo de um enorme precipício.

Vejamos.

A Congresso Nacional varou a madrugada de quarta para quinta da semana passada para concluir a votação da autorização do novo déficit fiscal, que acabou sendo o dobro do que a Dilma havia enviado ao Congresso. Sem essa votação o governo parava. Concluímos tudo as quatro horas da madrugada porque o PT fazia de tudo para impedir a votação.

O que quer dizer esse valor aprovado para um déficit de 170 bilhões de reais? Esse é o valor do déficit que acontecerá se nada for feito pelo governo Temer para corrigir a bagunça. É importante ter em conta que é obrigação do novo governo não deixar esse número acontecer, mas é importante saber o tamanho da herança. Só que ele é apenas uma parte da herança real.

Nos dez anos entre 1998 e 2008 houve um superávit primário de três por cento do PIB, que em relação ao de 2016 representava 190 bilhões de reais. Assim Dilma consegui criar um déficit de 170 mais 190 bilhões de reais, pois desapareceu o superávit e apareceu um déficit brutal. Ou seja, ela causou um desequilíbrio orçamentário de 360 bilhões de reais. Em poucos anos!

Mas, o problema é muito maior. Para continuar gastando Dilma foi ao mercado financeiro e por isso em 2015 o Brasil foi o país cujo Tesouro Nacional mais pagou juros no mundo, 8,5% do PIB, contra 4,62% da Índia, o segundo que mais pagou. Estamos falando de 502 bilhões de reais em juros em 2015, quando o déficit primário foi de 1,88% do PIB ou 111 bilhões de reais, ou seja, o déficit total foi de 10,38% ou 613 bilhões de reais. A conta de juros deste ano deverá ficar igual, ou seja, só nestes dois anos mais de um trilhão de reais. Em juros!

Tudo isso considerado a projeção da dívida pública bruta ao final de 2016 será de 73,4% do PIB, uma loucura!

Mas, temos gastos fora do orçamento que não entram nessa conta. Para tanto transferiu 500 bilhões de reais para o BNDES em títulos. Como se tivesse realmente esse dinheiro. Fora as operações anticíclicas da Caixa e do Banco do Brasil. A quem pertencerá essa conta? E as operações feitas com o dinheiro do FGTS? Quem pagará? Quem reporá o dinheiro no Fundo do Trabalhador?

E a necessidade de capitalização da Petrobras fruto da pilhagem e da incompetência? Como será? O governo Dilma conseguiu colocar a Petrobras no limiar da recuperação judicial, coisa impensável para uma empresa desse porte.

O enfraquecimento da Lei de Responsabilidade Fiscal e as suas brechas, que terão que ser tampadas, contribuíram para isso. Mas a verdadeira responsável foi a presidente. Não são só as pedaladas, mas trata-se do maior descalabro fiscal da história econômica brasileira, nunca antes registrada.

O efeito é que as quedas do PIB em 2015 e 2016, que se espera que atinjam 3,8% e 3,8%, ultrapassam o que se observou na Grande Depressão de 1930 e 1931, que foi de 2,1% e 3,3%.

Assim o impeachment foi justo e com razões de sobra. Dilma levou o país para o precipício, mesmo tendo recebido um país ainda equilibrado, com problemas que poderiam ser consertados.

O pior ficou para Temer que terá que tomar medidas duras para tornar, de novo, o país viável. Mas a máquina do antigo governo, ligado a ela, tentará passar para o povo que ele, e não ela, é o verdadeiro culpado.

Mudando de assunto, vi nos jornais que o secretário Simplício Araújo, esteve com o ministro da Defesa tratando sobre o ITA. Ótimo, embora muita coisa tenha acontecido desde que começamos essa luta há um ano atrás. É uma pena que não tenha nos procurado pois acabou falando em UEMA quando a UFMA já enviou o nome dos seus professores para participar, junto com os professores do ITA do currículo do primeiro curso de Engenharia Aeroespacial, dentro da parceria já estabelecida entre o ITA e a UFMA.

 Junte-se a nós, secretário, estamos à disposição. Nesta semana estarei com o ministro Jungmann, em audiência anteriormente marcada, para outras providências sobre o ITA de Alcântara. Juntos seremos sempre mais fortes.

 

Perigo constante: Facção usa alunos para vender drogas dentro das escolas

A imprensa maranhense fecha os olhos, bocas e ouvidos, para uma realidade gritante: tráfico de drogas nas escolas, usando crianças. A denuncia foi feita pelo jornalista Udes Cruz, confira abaixo:

 Facção usa alunos para vender drogas dentro das escolas e “expulsa” diretor em São Luís

Por desinformação ou sei lá por quais motivos, não se vê nos jornais impressos, programas de rádio, portais de internet ou blogs regionais, uma única linha sobre este problema, que é do conhecimento de pais de alunos, professores, autoridades e de toda a sociedade. É uma dificuldade, que passa de administração para administração pública, há décadas, sem ter a devida atenção ou as ações necessárias para ser combatida.

facção usa menor

Sinal vermelho

Passados dois anos de comunismo, os sarneisistas praticamente fecharam cerco ao governo da mudança.

Acho estranho isso, a lógica de quem lutou para chegar ao poder seria avançar, mas vemos o contrário, com a máquina nas mãos, Flávio Dino e Márcio Jerry praticamente se isolaram. A constatação de que não conseguem efetuar uma comunicação com seu grupo parte principalmente dos aliados, ou ex-aliados, que vivem se queixando dos donos do poder atual.

Muitas desas queixas vão parar nas redações de um adversário que não dorme no ponto, nem cochila com o cachimbo, quando se trata de política.

Sou do tempo que as forças políticas, as “oposições ao Sarney” se juntavam para vencer o grupo oligarca. Mas, hoje, parece que a terrível genialidade comunista está conseguindo afastar todo mundo do seu líder. Enquanto isso, Sarney continua agindo como quem manda no Maranhão, isto é fato.

Entendam de uma vez que, Sarney vem agindo na surdina. Através de uma leitura política feita por um jornalista do  O EMA, como o comunismo conseguiu se isolar, quando deveria unir forças. Infelizmente, o bloco das oposições ao Sarney, novamente, preferiu espalhar que se unir.

O resultado sabemos como terminará, já vimos esse filme, de Cafeteira a Castelo, passando por Jackson, novamente o poder deverá retornar para as mão do Sarney. Recado novamente dado, se tiverem juízo, deverão reconhecer os erros e tentar avançar, enquanto podem…

Abaixo, analise feita por um jornalista que embora seja do grupo Sarney, contribui para uma reflexão palaciana:

 

 

vai t

Continue lendo aqui:

Walidir 2

BRASÍLIA — O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) condenou o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) a pagar R$ 40 mil de indenização à procuradora do DF, Beatriz Kicis Torrendis Sordi. O tribunal entendeu que, em sua página no Facebook, o deputado publicou uma foto na qual fez insinuações ofensivas à procuradora. O TJDFT também determinou multa diária de R$ 500 caso não retire a foto da rede.

Beatriz relatou que tirou uma “selfie” em 27 de maio do ano passado, quando o Movimento Social Foro de Brasília, organização da qual faz parte, entregou um pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Dias depois, Wyllys compartilhou a foto publicada por outro deputado com as legendas: “Levanta a mão quem quer receber uma fatia dos 5 milhões” e “E agora? Será que os pretensos guerreiros contra a corrupção repudiarão sua selfie mais famosa?”. Segundo a procuradora, isso difamou sua reputação, causando danos morais.

Beatriz queria uma indenização de R$ 300 mil, mas a juíza Maria Augusta de Albuquerque Melo Diniz, da 6ª Vara Cível de Brasília, concordou com a defesa do deputado e negou o pedido. Wyllys afirmou que, como deputado federal, tem imunidade parlamentar para se expressar. Afirmou também que sua crítica era dirigida aos deputados que queriam o impeachment e não à procuradora, que sequer era figura pública. Outro argumento de Jean Wyllys era de que a postagem seria uma manifestação da liberdade de expressão.

“A publicação não teve o condão de ofender a reputação da autora, que apenas figurou como parte do cenário da postagem, não sendo sequer o alvo direto das críticas. Até porque, por não ser figura pública, não tendo qualquer poder de influência política, não poderia ser destinatária da suposta verba paga a título de propina”, concordou a juíza Maria Augusta, acrescentando ainda que, por ser deputado federal, Wyllys é “inviolável, civil e penalmente, por quaisquer de suas opiniões, palavras e votos”.

A procuradora recorreu da decisão e conseguiu revertê-la na 5ª Turma Cível do TJDFT. “Em que pese o parlamentar tenha a prerrogativa da imunidade material em seu favor, ao postar na sua rede social a fotografia alterada, com frase pejorativa e ofensiva, há excesso nos limites da sua garantia constitucional, pois a ofensa passou a se dirigir a todos os integrantes da foto, inclusive a autora, e não somente ao Presidente da Câmara dos Deputados. Não estão protegidas pelo manto da imunidade material parlamentar as ofensas dirigidas a terceiros que não são congressistas e que não estão comprovadamente envolvidos em esquemas de corrupção, por não se encaixarem no requisito indispensável para essa prerrogativa; qual seja, manifestações associadas ao desempenho do mandato”, diz trecho da decisão.

Maranhão foi condecorado como herói, recebeu honrarias, mas tornou ser vergonha: Rede Globo mostra que Waldir Maranhão fraudou contas eleitorais.

Segundo a reportagem d’O Globo, Maranhão mentiu à Justiça Eleitoral maranhense em um processo de investigação de suas contas eleitorais.

Fantastico, Rede Globo – Atualizado em 29/05/2016 22h53

Fantástico: depois de receber honrarias, Waldir torna envergonhar o Maranhão...

Fantástico: depois de receber honrarias, Waldir torna envergonhar o Maranhão…

Uma reportagem publicada na edição deste domingo (29) do jornal ‘O Globo’ revela que o presidente interino da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão, do Partido Progressista, fraudou contas eleitorais. Segundo a reportagem, ele declarou à Justiça Eleitoral que vendeu uma casa, em São Luís, para pagar a campanha dele, em 2010, mas o negócio nunca foi efetivado e o deputado ainda mora no imóvel.

A poucos metros da praia, a casa fica no Olho D’Agua, um dos bairros mais nobres de São Luís. Foi comprada em 2003 pelo presidente interino da Câmara, o deputado Waldir Maranhão, e pela mulher dele, a pedagoga Elizeth Azevedo.

Segundo a reportagem do jornal ‘O Globo’, Maranhão mentiu à Justiça Eleitoral maranhense em um processo de investigação de suas contas eleitorais. Em 2010, Waldir Maranhão empregou R$ 821,7 mil em sua tentativa de se reeleger deputado, sendo R$ 557,6 mil de recursos próprios. Os números chamaram a atenção do Ministério Público Eleitoral pelo fato de o parlamentar ter declarado possuir um patrimônio de apenas R$ 16,5 mil.

Na época, Maranhão justificou: segundo ele, o dinheiro veio de um empréstimo de R$ 98 mil do Banco do Brasil e da remuneração que recebeu ao longo dos anos como parlamentar e secretário de Ciência e Tecnologia do estado no governo Roseana Sarney.

De acordo com a reportagem, a defesa do deputado disse que esse dinheiro não apareceu na declaração de bens à Justiça Eleitoral porque houve um erro quando seu partido preencheu o registro de candidatura.

Mas os procuradores não se convenceram e Waldir Maranhão mudou a versão: disse que a renda veio, além do empréstimo, da venda da casa, no número 370 da Alameda Campinas, em Olho D’Água, por R$ 550 mil, a João Martins Araújo Filho, afilhado político do deputado. Maranhão chegou a apresentar uma promessa de compra e venda do imóvel assinada por ambos.

Mesmo assim, a Justiça Eleitoral desaprovou as contas eleitorais de Waldir Maranhão e o Ministério Público Eleitoral entrou com uma representação pedindo a perda do mandato dele. A defesa alegou que o pagamento pela venda da casa seria feito em três parcelas, mas o sigilo bancário de Maranhão foi quebrado e os depósitos dessas parcelas não apareceram.

Segundo ‘O Globo’, até hoje, o imóvel continua no nome do parlamentar e da mulher, conforme documento do Primeiro Registro de Imóveis de São Luís.

No bairro, todo mundo sabe que Waldir Maranhão e a família nunca deixaram de ocupar o imóvel.

Fiquem como o vídeo:

1 2 3 13