Monthly Archives: setembro, 2015

Viram aquela plantação sem pé nem cabeça da desistência da deputada Eliziane Gama de concorrer pela prefeitura da capital?elizianegama

Como poderia ser verdade, a renúncia de uma candidatura que só vem crescendo a cada dia na opinião pública?

Em meu ponto de vista, os setores ligados aos novos “companheiros” que trocaram de legenda recentemente, conseguiram causar uma repercussão contrária nas redes sociais, por causa disso, vão ter que, de agora para frente, ter que ouvi-la pronunciar novamente que é candidatíssima!!!

Aliás, talvez por causa disso, os “novos companheiros” estejam ficando perturbados com a deputada. Pior para os que estão com medo da candidata, agora vão ter que vê-la, de agora em diante, anunciar publicamente que continua sendo candidatíssima a prefeita de São Luís e atrair os holofotes que os novos (velhos de sempre) companheiros não conseguiram durante a “festa” de filiação.

Na manhã desta terça-feira (1°), o deputado estadual Wellington do Curso (PPS) solicitou informações à prefeitura de São Luís sobre a contratação de empresas na execução dos projetos de construção da obra anunciada no dia 24 de agosto de 2015.unnamed

O parlamentar também deu entrada em outro requerimento, destinado à Superintendência Regional da CAIXA no Maranhão, solicitando cópia do cronograma de desembolso praticado no contrato Nº0292726-21 (referente ao crédito de R$ 7.981.898, 60, liberados no ano de 2013 pela União à prefeitura de São Luís, destinados à drenagem-canalização e retificação do canal do Rio Gangan).

“Na semana passada, demos entrada em três requerimentos, solicitando informações ao Ministério das Cidades, Tribunal de Contas da União e Prefeitura de São Luís que solicitava informações sobre a aplicação do crédito de R$ 7.981.898, 60. Após tal solicitação, na tentativa de justificar o descaso para com o bem público municipal, a prefeitura afirmou que os quase oito milhões destinados pelo Governo Federal para a revitalização do Rio Gangan não contemplavam a construção da ponte.

Ora, se o crédito não ‘contemplava’ a obra, por que realizou-se o hipotético lançamento de construção da Ponte? Se o recurso não era para a Ponte por que que, no dia 14 de outubro de 2013, realizou-se o lançamento da construção da obra?”, indagou o parlamentar. Ao se pronunciar, Wellington também questionou sobre os processos licitatórios e verbas da “obra” e acusou ser esta um “estelionato eleitoral”.

“Se não havia recurso para a construção, por que divulgar o lançamento da referida ponte? Embora os fatos venham a convergir para a possibilidade de estelionato eleitoral, eu insisto em solicitar informações. Por isso, protocolamos mais dois requerimentos, na manhã de hoje: um para a Caixa Econômica Federal e outro para a Prefeitura.

Se não havia recurso, como a Gestão Municipal alegou, como explicar o fato do prefeito de São Luís ir, no último dia 24, ‘lançar’ a ponte novamente? Ante isso, eu pergunto: a obra foi iniciada agora, em agosto, com qual verba? Com qual processo licitatório? Onde está o procedimento de licitação da obra cuja ordem de serviço foi lançada no dia 24, na última segunda-feira? Qual o valor total dessa obra? E os projetos?

Sabe-se que, para licitar uma obra, é necessário, no mínimo, um projeto básico. Cadê o projeto básico? Qual origem dos recursos para pagamento desse contrato?”, interrogou o parlamentar ao solicitar as informações elementares que a população de São Luís quer saber.

Observem essa imagem:

whats2

Homem amarrado e jogado duma ponte. Sabem o que significa? Grupos de extermínios agindo, matando, em plena luz do dia e ninguém faz nada. O governo, pelo que se observa, está focado nas questões eleitoreiras do pleito que se aproxima…

Está faltando diálogo…

Ainda na noite do sábado, discorri aqui sobre o evento do PSB, com fumaça de  crise. Não deu outra…

Entre tapas e beijos, Rochas e Tavares…

Pois bem, na manhã desta terça-feira, em seu artigo publicado aqui neste blog, o ex-governador Zé Reinaldo deu sinais de que houve um estremecimento nas relações.

Embora não querendo entrar  a fundo nessa questão, até porque, igual a mim, muita gente vê Rocha e Tavares como lideres de nossa política, de mãos dadas, poderão fazer muita coisa pelo estado.

Pimpolhos dos comunistas...

Pimpolhos dos comunistas…

Quem ganha com o estremecimento entre Zé Reinaldo e Roberto Rocha?

Se estivessem mais ligados, os raposas poderiam ver que uma renca de neófitos se aproxima. Gente que se julga capaz mais que os que já estão aguardando na fila…

Enquanto socialistas brigam os comunistas dão sinais claros que investem em Bira e Rubem Jr…

 Cada em seu quadrado:

Rocha já tem mandato, Reinaldo, também, ambos, se houverem diálogos, poderão delimitar a área de atuação e pavimentar a estrada para seus objetivos, que todos nós que vivemos na política sabemos quais são: um quer ser governador, outro, senador…

Se conseguirem fazer isso, acertar as arestas, é correr para o abraço…

Para sair um pouco dessa fumaça socialista, uma observação para o cerimonial do governo do estado:

Alô, cerimonial, favor lembrar nome da primeira dama…

Essa aconteceu recentemente na “terra do gás” em evento do governo, onde o cerimonial do governo comunista chamou para a mesa todos os convidados, “esquecendo” de chamar a dama do município, que é deputada.

Os holofotes, ao que parece, estavam focados apenas sobre certo deputado queridinho dos comunistas…

Violência em alta…

Mês de agosto fechou em alta, os números de assassinatos parece que chegou ou passam 90 casos na Grande Ilha. Enquanto os números oficiais não são anunciados, já posso até antecipar qual será a desculpa do governo Flávio Dino, que no mês de agosto do ano passado,  no governo Roseana Sarney, os números foram superiores.

É assim que faz o governo da mudança, vive se desculpando e olhando para trás, ou seja, governam com olhos no retrovisor.

Avançar deste jeito?

Homem amarrado e jogado no mangue da Ponte do Quarto Centenário, mostra que existem grupos de extermínio. As denuncias são de que as facções estão bancando esse tipo de violência. O governo está agindo, fazendo alguma coisa para mudar?

Não dá para acreditar

A presidente Dilma definitivamente parece viver em outro planeta. É impossível que ela não tenha um mínimo de sensibilidade com o rápido desmoronamento das condições de vida do brasileiro e da situação socioeconômica do país.dilmaaaa

Parece não saber que o desemprego está chegando a níveis alarmantes, a inflação corrói sem pena as finanças familiares, principalmente as dos mais pobres. Como se não bastasse os indicadores financeiros que mostram o país piorando a cada dia, a inadimplência aumentando…

Tudo isso exige dela uma resposta à nação e ela simplesmente só dá mostras de que está totalmente perdida, chegando ao ponto de apresentar como solução a recriação do famigerado “imposto do cheque”, a CPMF, extinta pelo Congresso no auge do poder de Lula.

Dilma e sua equipe parecem não entender que a gravidade do momento requer do governo uma resposta responsável que enfrente as raízes dos problemas que na verdade foram criados no seu primeiro mandato. O mesmo sobre o qual lhe coube a alcunha de “direção temerária”, por muitos atribuída.

Sem resolver problemas fundamentais – e para isso é preciso que se os reconheçam primeiro – nada pode ser feito para valer. Dilma parece não saber que o governo gasta muito mais do que arrecada e que isso leva ao aumento insuportável dos juros, que impedem a nação de crescer e investir. Qualquer dona de casa sabe disso, mas Dilma acha que, para resolver, basta aumentar ou criar mais impostos, que já chegam a insuportáveis 35 por cento, uma das maiores cargas tributárias do mundo.

E assim vai o governo, criando despesa atrás de despesa, sem que isso tenha reflexo na melhoria de vida da população, pois todos sabem que os serviços que o governo põe à disposição são sofríveis.

Não bastasse isso, as reformas fundamentais no sistema de previdência, o aprimoramento do SUS, a reforma tributária, e o engessamento do orçamento com despesas que chegam a 92 por cento – fazendo sobrar pouca margem de manobra para investimento – não é nem sequer mencionado. O excesso de gastança com 39 ministérios e 22 mil cargos em comissão que só servem para abrigar gente muitas vezes sem as qualificações necessárias para fazer concursos públicos e ser admitidas pelo mérito funcionam apenas para criar instâncias burocráticas desnecessárias e que acabam por aumentar a infernal burocracia de um governo que se revela ineficiente, gastador e que dificulta a ação da iniciativa privada.

O governo gasta muito e gasta mal, despende sem freios, pois não está limitado pela Lei de Responsabilidade Fiscal, que hoje só limita gastos de estados e municípios.

Em outras palavras, não existem limites para o crescimento da despesa com pessoal e nem de endividamento do estado, que muitas vezes avança sobre recursos estaduais e municipais e repassa encargos sem previsão orçamentária a esses entes federados. Com isso, não existe um estado federado de forma plena no país, mas sim uma concentração de poderes e recursos no governo federal, sem que isso resulte em melhorias para a população. Tampouco existe uma aferição de resultados de programas de governo que são lançados com o anúncio de boas intenções, mas que são mal executados e mal concebidos, sem metas quantificadas que justifiquem a gastança.

Dentro desse quadro, o governo ensaiou relançar a CPMF e, debaixo da indignação causada e da certeza de que não seria aprovada, recuou, principalmente depois que os governadores se negaram a dar apoio a essa aventura. Com isso a presidente perdeu o que lhe restava de apoio na classe empresarial e na classe média, uma verdadeira atitude kamikaze que só fez aumentar o desejo do povo de vê-la pelas costas. Enfim, Dilma age como se tivesse desorientada, muito longe da realidade problemática do país.

Para encerrar, conto um fato ocorrido na última vez em que estive no programa Avesso, da TV Guará. Programa, aliás, muito bem conduzido por Américo de Azevedo Neto. Este mesmo que, na ocasião, me perguntou o que eu achava de uma afirmação do senador Roberto Rocha de que iria, sozinho, escolher o candidato a prefeito pelo PSB em São Luís. Respondi-lhe então que o senador não conhecia a cultura do partido, um partido de base em sindicatos rurais, em que ninguém mandava e tudo era resolvido coletivamente por votação das instâncias partidárias. E que dessa forma seria feito novamente na escolha do candidato do partido em São Luís. Não o agredi e nem o insultei, apenas alertei que o partido era diferente de outros por onde andou o senador.

Para minha surpresa, este reagiu com muita agressividade, tentando me insultar, como se isso fosse mudar alguma coisa dentro do partido. Pois bem, o senador que, em discurso, chama a si mesmo de “senador Roberto Rocha”, no último sábado, durante a reunião estadual, que contou com a presença do presidente nacional, sentiu de perto o efeito de desconhecer a realidade do partido.

Depois que uma entusiasmada plateia lançou o nome de Bira do Pindaré para concorrer ao cargo de prefeito da capital, e do discurso de aceitação do próprio Bira, o senador, ao fazer o uso da palavra, e sem levar em consideração o desejo dos militantes, resolve – como se fizesse uma concessão – repetir que quem escolhia o candidato, como presidente do Diretório Municipal, era ele. E que assim se lançava candidato a prefeito da capital.

Não sei o que Roberto Rocha pensou, talvez contasse com o delírio da plateia, já que ele, senador, descia das alturas para se lançar candidato. Não sei mesmo o que pensava, mas o resultado da falta de conhecimento da cultura partidária só lhe valeu uma sonora vaia por desafiar o desejo das bases partidárias. Não bastasse isso, teve que ouvir do presidente estadual e do presidente nacional que essa decisão pertencia não a uma pessoa, mas às instâncias partidárias como um todo.

Se me tivesse ouvido…

unnamed (1)O deputado Fernando Furtado (PCdoB), por meio de Indicação, pediu à Mesa Diretora da Assembleia Legislativa que envie expediente ao Presidente da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão – CAEMA, Davi de Araújo Telles, solicitando a execução de obras de construção de poços artesianos e rede de distribuição nos seguintes bairros e povoados do município de Milagres do Maranhão: bairro Canto D’água, que fica na zona urbana; Sítio do Meio; Santo Antônio; São Roque; São Tomé; Mata de Cima I; Mata de Cima II e Mata de Baixo.

De acordo com o parlamentar, essa iniciativa vai contribuir significativamente para a qualidade de vida da população, diminuindo o alto índice de doenças gastrointestinais, já que a água potável na região é muito escassa.

“Essas comunidades possuem um grande número de residências. A intenção é garantir a saúde pública dessa população através da água potável com a construção dos poços e redes de distribuição,” disse Furtado.

Concluindo, o deputado disse que a água encanada é obra de infraestrutura básica para qualquer unidade habitacional, sendo imprescindível para uma vida mais digna.

Por meio de requerimento aprovado nesta segunda-feira, 31, no plenário da Câmara Municipal de São Luís, o vereador Roberto Rocha Júnior (PSB) solicita que a Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp) realize a pavimentação da Avenida Luiz Rocha, no bairro Apeadouro.Roberto Rocha Junior quer obras de infraestrutura no Apeadouro.

De acordo com o parlamentar, apesar de o bairro ser um dos mais antigos da capital maranhense, os moradores sofrem muito com a falta de infraestrutura das ruas e avenidas.

“A Avenida Luiz Rocha está com o asfalto em péssimas condições, com muitos buracos, o que acaba causando prejuízo, não só aos moradores, mas, também, a todos que precisam passar pelo local. Tenho certeza de que o secretário Antônio Araújo vai atender o nosso pleito e levar o asfalto para essa rua e a outras desse bairro que necessitam passar por melhorias”, disse.

O vereador também requereu a construção de uma quadra poliesportiva para o bairro Apeadouro. A solicitação foi direcionada à Secretaria Municipal de Desportos e Lazer (Semdel). Segundo ele, a construção da quadra tem como principal objetivo oferecer mais oportunidades de lazer por meio do esporte para as crianças, jovens e adultos que residem no bairro.

“Uma quadra poliesportiva, que atenda as crianças, jovens e adolescentes desse bairro, será um local de grande utilidade para todos, visto que o esporte, além de ser uma alternativa de lazer, ainda ajuda a afastá-los das drogas”, ressalto.

O deputado Zé Inácio (PT) acompanhou o Ministro do Desenvolvimento Agrário Patrus Ananias em visita ao assentamento do Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra  Cristina Rosa e ao quilombo Santa Rosa dos Pretos, localizados no município de Itapecuru Mirim.

 Zé Inácio participa de reunião com ministro Patrus em assentamento Cristina Alves

Zé Inácio participa de reunião com ministro Patrus em assentamento Cristina Alves

O Maranhão é o segundo estado que o Ministro Patrus realiza visitas em áreas de Assentamentos e Comunidades Quilombolas com o objetivo de dar continuidade ao compromisso de dialogar e conhecer a realidade dos territórios do Brasil rural.

O deputado Zé Inácio (PT) durante evento ressaltou a importância de ações como essas com a parceria dos governos federais, estaduais e municipais. Zé Inácio também destacou o papel dessas comunidades para o fortalecimento da agricultura familiar em nosso estado. “O papel dessas comunidades é importantíssimo para o desenvolvimento do nosso Estado, pois são elas que produzem a nossa agricultura e este é um momento impar para essas comunidades que ao longo dos anos foram esquecidas”, declarou o deputado.inac

 Patrus afirmou que conhecer os territórios é uma oportunidade de valorizar os múltiplos olhares do país, para a criação de sinergias.

Zé Inácio ainda destaca a importância de investimentos nas áreas rurais para o desenvolvimento sustentável no Maranhão. “A produção agrícola do nosso estado precisa ser alavancada, pois existem gargalos, como falta de investimentos em tecnologias e capacitação, assim como também programas específicos para os agricultores, além de linhas de créditos. Já está mais que na hora de fazermos os reparos com os agricultores rurais (quilombolas, quebradeiras de coco, assentados, pescadores e indígenas), que vem sendo deixada de lado ao longo desses anos”.

 Patrus no Maranhão –  A vinda do Ministro ao Maranhão se deu ao lançamento do Plano Safra. Na oportunidade ele realizou visita aos territórios rurais, que tem como objetivo promover o desenvolvimento econômico e universalizando programas básicos de cidadania, por meio de uma estratégia de desenvolvimento territorial sustentável, a participação social e a integração de ações entre Governo Federal, estados e municípios são fundamentais para a construção dessa estratégia.

 O assentamento Cristina Rosa e ao quilombo Santa Rosa dos Pretos pertencem ao Território da Cidadania Vale do Itapecuru, que é composto pelos municípios de Ananatuba, Catanhede, Itapecuru Mirim, Matões do Norte, Miranda do Norte, Nina Rodrigues, Pirapemas, Presidente Vargas, Santa Rita e Vargem Grande, neste território, com mais de 8,9 mil quilômetros quadrados e quase metade da população vivendo no meio rural, nasceu o movimento das quebradeiras de coco babaçu.

 

Em sua estada na segunda cidade mais importante do Maranhão, o deputado Wellington do Curso (PPS) flagrou desumanidade nos serviços de saúde do município. Em seu pronunciamento na Assembleia Legislativa, o parlamentar disse que “o Hospital Socorrão estava em total estado de precariedade”.11944608_10204635087702434_138320884_n

De acordo com o parlamentar, ao falar com pacientes, pôde comprovar as principais problemáticas daqueles que precisam do sistema municipal de saúde.

 “Ao conhecer  de perto o hospital municipal de Imperatriz, pude comprovar quanto a nossa saúde ainda encontra-se na ‘UTI’. Ao passar por cada parte vemos o caos: super lotação, pessoas atendidas nos corredores (macas nos corredores), pacientes tomando soro nos corredores e segurando as bolsas de soro na mão, baratas por todos os lados, dentre tantas outras mazelas que ferem a dignidade humana.11949559_10204635086622407_1272288828_n

O hospital de Imperatriz está jogado às baratas! Enquanto representante do povo maranhense e vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, não me calarei diante de atos desumanos como este”, relatou.

Abaixo, as imagens feitas pelo celular da parlamentar durante sua visita surpresa à casa de saúde:

1 11 12 13