Vídeo: Assembléia Legislativa quer saber, onde está o dinheiro, Sr prefeito?

1

Atuação exemplar: Deputado Wellington se destaca cobrando explicações dos governantes

No vídeo abaixo, a importante atuação de um parlamentar que não se limita a grupos políticos ou governos. É desta forma que a população espera que o parlamento maranhense, agora, sob o comando dos comunistas, que recentemente anunciaram o governo da “mudança” agissem.

Aconteceu na “república maranhense”…

Imagem: Atual 7

Imagem: Atual 7

Sempre de olho nas questões de interesse da coletividade, o deputado Wellington do Curso (PPS), protocolou três requerimentos, cobrando informações: Um no Ministério das Cidades e outro no Tribunal de Contas da União, para tentar desvendar o mistério do por que da obra da ponte Pai Inácio, que, pasmem, até hoje nunca ficou pronto…

“Nesta manhã protocolamos três requerimentos na ordem que se segue: um requerimento para a União, endereçada aos Ministros das Cidades, Gilberto Kassab; ao Presidente do Tribunal de Contas da União, Dr. Aroldo Cedraz; e também um requerimento à Prefeitura de São Luís, ao Prefeito Edvaldo Holanda Júnior. E qual o teor dos três requerimentos?

Que nos disponibilizem em caráter de urgência as informações, cópias integrais dos processos licitatórios autuados, ou que estejam em andamentos, pareceres em notas técnicas, empenhos, inscrições em resto a pagar, ordem de pagamento, notas de créditos, prestações de contas ou cópias de todos os documentos relacionados a esse pedido. O pedido faz referências à situação do crédito de R$ 7,9 milhões liberados no ano de 2013 pela União à Prefeitura de São Luís, destinados à drenagem, canalização, reedificação do canal do Rio Gangan”, assegurou.

Para o deputado Wellington, “já se passaram 10 anos e a população sente-se enganada com as promessas não cumpridas. A população de São Luís espera uma resposta e que a Ponte seja realmente construída”.

Uma resposta para “Vídeo: Assembléia Legislativa quer saber, onde está o dinheiro, Sr prefeito?”

  1. Nao estou mais lá, fui perseguido e censurado. Obrigado Antônio, sabe como é na “república” proclamada pelos comunistas né?
    Continue conosco aqui se preza pela liberdade.