“Papai, quando eu crescer quero ser igual o Sarney”

0

 De como um juiz desistiu de sua carreira para realizar seu maior sonho.

Reza a lenda que Sarney, quando governador, nos idos de 1965, recebeu a visita de um grande amigo acompanhado de sua família no Palácio dos Leões.

Ao ver a imponência do lugar, o garoto resolveu deixar de correr com as outras crianças para acompanhar o pai (que era deputado à época) nas conversas com o governador José Sarney.

Mesmo quando foi interrompido pelo “homem da faixa”, que lhe disse para ir brincar com as outras crianças:

– Vai brincar com os outros, menino.

-Não, tio, eu quero ficar aqui no palácio, porque quando eu crescer eu quelo ser igualzinho o senhor, disse o menino.

 Os olhares atentos do menino àquela imagem autoritária do oligarca, daquele importante homem, governador do Maranhão, de súbito, preencheu por completo os espaços de sua fértil imaginação. Assim, o Palácio, a faixa de governador, o poder, impregnaram por completo a alma daquela criança, até que ficasse adulto e decidir ser igual o Sarney.

Ainda nos dias atuais, parcialmente realizado, o menino, que virou um adulto inconformado, ainda tenta realizar seu maior sonho. Ainda falta um pouco, mas, sua obstinação um dia deverá se realizar.

E assim, o Maranhão segue, ainda hoje, sob o signo de uma nova oligarquia…

Oh, crianças, isso é só o fim:

Os comentários estão desativados.